Promoções e eventos exclusivos, descontos em produtos e serviços, entrega sem custo ou mais rápida, curadoria especializada, bônus na transferência e no acúmulo de pontos/milhas, entre outros. Esses são apenas alguns dos muitos benefícios oferecidos aos membros de um clube de assinatura, modelo de negócios cada vez mais popular em diversos setores como Entretenimento, Financeiro e Viagens.

Para entender melhor como avança essa estratégia, a Collinson, líder global em benefícios e fidelização do cliente, encomendou uma pesquisa da Toluna Insights, com mais de 1.000 brasileiros, e descobriu que os consumidores pagariam por um clube de assinatura motivados por benefícios (53%), preço (26%) e conveniência (17%).

“Benefícios econômicos ainda são muito esperados e desejados pelos consumidores, mais de 60% disseram que preferem clubes de assinaturas que proporcionem descontos e promoções. Contudo, serviços preferenciais, ilimitados ou eventos exclusivos já ocupam um espaço importante na expectativa do consumidor (quase 40%)”, comenta o General Manager da Collinson no Brasil, Henrique Donnabella.

O estudo também revelou que enquanto 30% dos entrevistados disseram ter interesse em assinar programas de fidelidade voltados a viagem, apenas 12% deles de fato o fazem.

“Existe uma tendência global de lançamento e adesão que chamamos de Paid Loyalty – programas de fidelidade que criam planos pagos para oferecer uma experiência ainda mais relevante aos seus clientes. Na condição de pagante, o cliente que não atinge a frequência de compra esperada pela empresa, e consequentemente não consegue obter as vantagens e benefícios através do programa de fidelidade gratuito, passa a ter uma opção de contribuir financeiramente para ter acesso a estes serviços e benefícios”, diz Donnabella.

Segundo Donnabella, o crescimento do interesse dos brasileiros em pagar por clubes de assinatura é uma ótima oportunidade para as marcas rentabilizarem sua base de clientes através de uma proposta de valor diferenciada. Dados da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf), o número de pontos e milhas resgatados em 2018 cresceu mais de 17% e, chegando aos 64,4 bilhões. A associação revela também que os principais destinos visitados utilizando pontos e milhas são São Paulo e Miami.

Os clubes de assinatura são uma ótima ferramenta por si só e quando inseridos num programa de fidelidade gratuito. É necessária uma calibração cuidadosa das empresas para atingir seus objetivos de engajamento com sucesso.