As redes de franquias seguem avançando rumo ao interior do Brasil. É o que demonstra o mais recente estudo da Associação Brasileira de Franchising (ABF) sobre a presença do setor nos municípios. O levantamento deste ano registra que entre as 30 cidades com maior número de unidades, 11 avançaram posições no primeiro semestre de 2018 na comparação com igual período de 2017, das quais sete não são capitais: Campinas, Santo André, São Bernardo do Campo, São José do Rio Preto, Sorocaba e Guarulhos (SP) e Niterói (RJ). (Veja o quadro completo abaixo).

O município com maior crescimento em número de unidades não é uma capital.

Confirmando ser um polo regional de franquias, a paulista São José do Rio Preto, distante cerca de 442 km de São Paulo, encabeça a lista das cidades com maior variação de operações de franquia, com uma expansão de 12%. A seguir vem a capital catarinense Florianópolis (11%); do ABC paulista, São Bernardo do Campo (9%); as capitais Goiânia (GO), Curitiba (PR) e Belo Horizonte (MG), Londrina (PR), Brasília (DF) e Ribeirão Preto (SP), com 8% de variação, seguida da capital amazonense Manaus (7%). Os dados mostram também que 43,3% dos 30 municípios que mais cresceram em unidades são capitais que pertencem às regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Neste período, para comparação, a média nacional de expansão foi de 7%.

“A busca por novos consumidores pelas redes de franquias por todo o Brasil segue avançando gradualmente. Esse fato demonstra não só a força do franchising, que, como os demais setores, enfrenta esse período difícil da economia brasileira, como também a capacidade do setor de levar seus produtos e serviços para os mais diversos públicos e consumidores em todos os lugares do País, de uma forma exponencial. Esse movimento fortalece o setor e contribui para uma economia mais robusta e diversificada”, declara Altino Cristofoletti Junior, presidente da ABF.

O estudo apontou, ainda, que entre as top 30 cidades em unidades deste ano, 19 são capitais (63,3%). Em 2017, eram 20 metrópoles. A mudança no quadro foi a entrada da cidade de Londrina, interior do Paraná, na 30ª posição, substituindo João Pessoa, capital paraibana.
De acordo com Vanessa Bretas, gerente de inteligência de mercado da ABF, “a interiorização das franquias no Brasil vem sendo acompanhada e incentivada pela ABF ano após ano. Notamos uma consolidação desse movimento especialmente nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste”.

Outros dados que indicam que as franquias rumam cada vez mais para o interior do País estão relacionados aos shoppings. Segundo a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), 78% das inaugurações desses centros comerciais entre 2017 e o primeiro semestre de 2018 foram em cidades que não são capitais; e 61,1% dessas aberturas ocorreram nas regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte.

Os 10 municípios com maior número de unidades mantiveram suas posições entre os primeiros semestres de 2017 e deste ano. O destaque permanece sendo Campinas (SP), na 7ª posição em número de unidades e em 3º lugar quanto ao número de redes que operam localmente.

Ainda com relação às marcas, o levantamento apontou que, dentre as 30 cidades com maior número de redes em operação, 36,7% não são capitais. Já 40% dos municípios que mais cresceram em número de marcas são capitais que pertencem às regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.