Escolha do tema “clean” busca comunicar aos clientes o estilo moderno da Achado Barbearia - Crédito: Florence Zyad

Disposição das paredes, tipo de iluminação, qualidade da acústica. Os termos são facilmente associados ao universo da arquitetura, mas o que muita gente não imagina é que eles também estão diretamente ligados à rentabilidade dos negócios. Projetos arquitetônicos que são desenvolvidos com foco na melhoria de resultados têm se revelado uma excelente estratégia no ambiente corporativo.

É exatamente a esse segmento que se dedica o escritório de arquitetura Piacesi Arquitetos Associados, que opera há nove anos no bairro Funcionários, na região Centro-Sul da Capital. O arquiteto e fundador do escritório, Júnior Piacesi, já realizou mais de 300 projetos com esse perfil, entre espaços comerciais, corporativos e hotéis. Ele também fez uma especialização na Mensch & Brodie Academy, instituição de ensino alemã, que certifica arquitetos a trabalharem com ambientes corporativos.

Para ele, o sucesso de um produto, a eficiência dos processos, o clima e a cultura organizacional e até a produtividade dos funcionários podem ser afetados pela arquitetura do ambiente. Piacesi explica que a arquitetura que foca em melhoria de resultado é muito mais voltada para o usuário, seja ele cliente ou colaborador. Além disso, ela tem uma influência do conceito de “neuroarquitetura”, que leva em consideração elementos como cores e texturas para dar mais conforto aos usuários.

“O espaço precisa ser pensado de forma que o funcionário consiga entregar o que precisa. Se o ambiente onde ele trabalha é arejado, tem boa iluminação, boa acústica e condições adequadas à ergonomia, sua produtividade será muito maior”, afirma.

Segundo o arquiteto, os projetos que levam isso em consideração normalmente incluem estações de trabalho mais generosas, ambientes silenciosos, mas também com espaços de respiro. É muito comum o uso de plantas ou outros elementos da natureza para passar esse conforto e bem-estar aos profissionais.

Ele destaca que a arquitetura pode, inclusive, ajudar os gestores a repensarem a forma de se organizarem como empresa. Prova disso são os benefícios trazidos pelos projetos lineares, que eliminam as paredes.

“A inexistência de divisões de salas e a maior integração entre os colaboradores revela um novo conceito de gestão. Da mesma forma que já vimos empresas criarem estações de trabalho fora do formato tradicional, como no ambiente externo”, exemplifica.

Um ambiente voltado para a comercialização de produtos pode usar o projeto arquitetônico como estratégia. Tanto pela questão óbvia de que um ambiente agradável segura o cliente por mais tempo, mas também porque o consumo em lojas físicas tem sido associado, cada vez mais, à experiência.

“Grandes marcas já entenderam isso: a venda não acontece mais apenas por causa do produto que está na prateleira, mas também por conta da experiência de ir até aquela loja, sentir aquele aroma e desfrutar daquele ambiente”, diz.

Cases – Localizada no bairro Lourdes, na região Centro-Sul da Capital, a empresa de comércio exterior e logística Ventana experimentou uma mudança em seu clima organizacional depois que passou por uma reforma arquitetônica. De acordo com o CEO, Paolo Casadonte, a empresa ganhou um projeto linear, sem divisões de salas e uma paleta de cores suaves. Segundo ele, a mudança refletiu diretamente nos resultados.

“A ausência de paredes e de poluição visual gerou um ambiente mais agradável, com mais circulação de ar. Além disso, favoreceu a comunicação entre as áreas”, comemora. O CEO afirma que o projeto arquitetônico auxiliou, inclusive, na organização da empresa. A mudança também foi muito elogiada pelos clientes da Ventana, segundo Casadonte.

A alteração da arquitetura também foi uma estratégia importante para a Achado Barbearia, localizada no bairro Funcionários, na região Centro-Sul da Capital. De acordo com o proprietário, Wagner Mariano, a escolha do tema “clean” foi proposital para comunicar aos clientes o estilo moderno da barbearia.

“É comum encontrar os temas vintage e retrô nas barbearias, mas esse não é o meu estilo. Tenho o perfil moderno e queria que o ambiente combinasse comigo e com o que tenho para oferecer”, explica.

A barbearia tem uma decoração minimalista, com cores claras e que passam a mensagem de limpeza e modernidade. Para Mariano, esse ambiente é um importante chamariz para os clientes, que sempre dão uma espiada quando passam na porta do estabelecimento.