Buenos Aires – A Argentina receberá “mais apoio” do Fundo Monetário Internacional (FMI), disse o presidente Mauricio Macri, ontem, embora ele não tenha dito qual seria o suporte, uma vez que as conversas com o fundo continuam.

Em entrevista para a Bloomberg TV, em Nova York, Macri informou que o país estava perto de atingir um acordo final com o FMI e que havia “chance zero” de que a Argentina daria default em sua dívida externa no próximo ano.

A Argentina fechou um acordo de financiamento de US$ 50 bilhões com o FMI em junho, depois que uma severa seca minou o setor de exportação de grãos da Argentina e uma corrida contra o peso elevou os medos de que o país poderia ser incapaz de pagar suas dívidas internacionais em 2019.

Diante das previsões do tempo favoráveis, Macri disse que os exportadores de grãos poderiam “atingir novos níveis de produção” e que o país poderia ter mais quatro ou cinco meses de recessão antes que uma recuperação impulsionada pelas exportações entraria em cena. (Reuters)