Não queremos competir com as demais escolas e sim interagir, afirma Alice Guilhon - Créditos: Joao Guilherme / Agencia i7

A Skema Business School, escola de negócios de origem francesa, está investindo R$ 28 milhões na unidade de Belo Horizonte. O recurso, que começou a ser aplicado em 2015, com previsão de conclusão em 2020, tem o objetivo de estruturar todo o funcionamento da escola para a formação de profissionais altamente qualificados e potenciais executivos para atuação em empresas de vários segmentos em todo o mundo.

Outro investimento, com projeção de lançamento ainda neste ano, em nível global, é um laboratório de inteligência aumentada, o Skema Al Global Lab, onde estão sendo investidos cerca de 3 milhões de euros.

De acordo com a reitora da Skema Business, Alice Guilhon, Belo Horizonte foi escolhida para a instalação da unidade devido ao grande potencial para o desenvolvimento de negócios em função do empreendedorismo local e da inovação. A unidade, inaugurada em 2015, conta com importantes parceiras, como a Fundação Dom Cabral (FDC).

“A tradição e a qualidade da Fundação Dom Cabral foram fundamentais para que tomássemos a decisão de implantar uma unidade da Skema no Brasil. Quando escolhemos um local para a abertura de uma escola, não queremos competir com as demais entidades de ensino presentes, queremos interagir e completar o sistema”.

Com o objetivo de capacitar e treinar talentos da nova geração para atuar em qualquer empresa do mundo, a Skema tem o trabalho baseado em três pilares: inovação, globalização e digitalização. Características que foram identificadas no País e em Belo Horizonte.

“Entendemos que, para enfrentar os desafios diários, os brasileiros possuem uma grande flexibilidade e habilidade para criar soluções em situações desconhecidas e o mundo real requer exatamente esta habilidade”, explicou Alice Guilhon.

Para potencializar a formação e a capacidade de atuação profissional dos estudantes, a Skema está investindo 3 milhões de euros em um laboratório de inteligência. O Skema Al Global Lab, que começa a funcionar em setembro, é considerado fundamental para a profissionalização dos alunos.

O projeto consiste na construção de uma plataforma de última geração dedicada à pesquisa de dados científicos e de inteligência aumentada. O projeto conta com uma equipe principal formada por pesquisadores altamente renomados que irão selecionar profissionais para atuarem em todas as unidades da Skema distribuídas no mundo. O uso da plataforma, em Belo Horizonte, começará no ano que vem.

Através da plataforma de dados, os estudantes e pesquisadores poderão solucionar gargalos e tomar decisões com apoio da ferramenta e da inteligência aumentada. O objetivo é atender a demanda do mercado, desde empresas privadas a estatais e de portes variados.

A Skema possui seis campi em quatros países: França, Brasil, Estados Unidos e China. Em Belo Horizonte, o curso de graduação forma bacharéis em administração, com ênfase em Gestão em Negócios Globais. Com duração de quatro anos, os estudantes têm a oportunidade de estudar dois anos nas unidades localizadas em outros países. Além de aulas teóricas, o aluno tem capacitação prática em negócios tendo uma compreensão ampla, internacional e multicultural do mercado de trabalho.

O curso é estruturado para oferecer ao futuro profissional o conhecimento e as habilidades necessárias em negócios globais, empreendedorismo e inovação, com o intuito de transformá-lo em importante protagonista da nova economia.

Além da graduação, em Belo Horizonte são oferecidos seis cursos de mestrado, que hoje contam com 460 estudantes estrangeiros.