Realizado no dia em que o rompimento da Barragem de Fundão, no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (região Central do Estado), da Mineradora Samarco, completou três anos, o evento tratou ainda sobre soluções para o processamento de rejeitos.

De acordo com pesquisadores que apresentaram projetos e pesquisas para a área, embora a universidade já trabalhasse o assunto, após o ocorrido, o desafio da busca por soluções tornou-se ainda maior.

Assim, os especialistas aproveitaram a oportunidade para tratar e expor temas como as redes de pesquisa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), Candonga e Plataforma, ambos voltados para pesquisa e desenvolvimento de destinação de subprodutos da mineração; o programa MineraAll, que engloba a pré-aceleração de tecnologias para a destinação de subprodutos da mineração de ferro; os novos paradigmas do setor; o Instituto Nacional de Tecnologias de Rejeitos Midas; e o Centro de Escalonamento e Aceleração de Tecnologias UFMG-Senai. (MB)