Bustamante explica que o valor da mensalidade depende do custo mensal da conta de luz - Divulgação

Pagar serviços por assinatura não é novidade no Brasil: as empresas de TV e telefonia tornaram esse modelo de compra popular. Mas e se o consumidor pudesse comprar energia renovável por assinatura? A ideia que, a princípio parece improvável, deu lugar a um modelo de negócios inovador em Minas Gerais, resultando na criação da startup Enercred. Com sede em Pedralva, no Sul do Estado, a empresa entrega ao consumidor pacotes de descontos de 10% a 20% na conta de luz, por meio de um modelo que transforma energia solar em créditos nas companhias de energia.

A história da Enercred começou em 2015, quando o atual CEO, José Otávio Bustamante, foi à Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos (EUA), apresentar um projeto de um painel solar híbrido. A proposta consistia em um produto que gerava energia ao mesmo tempo em que aquecia água. Mas, o que o empreendedor não esperava é que ele voltaria para o Brasil com uma ideia muito diferente da que ele levou.

“Durante meu tempo nos EUA fiz contato com outras empresas na área de energia e me deparei com o modelo de comunidade solar. Nele, os consumidores faziam locação de um percentual da usina de energia fotovoltaica e se beneficiavam do uso de energia renovável sem precisar investir em equipamento”, relata.

O empreendedor ficou tão impressionado com a ideia que decidiu fazer algo parecido no Brasil. Em 2016, ele investiu cerca de R$ 100 mil de capital próprio para construir uma usina solar com potência de 15 kwp (quilowatt pico), que era suficiente para atender 20 clientes. Em 2017, a Enercred foi selecionada no programa de apoio a startups EDP Starter Brasil, período em que validou seu modelo de negócios.

De forma prática, a startup funciona assim: ela tem fazendas solares que geram energia. Essa energia é injetada na rede de distribuição e transformada em créditos. O cliente da startup, por sua vez, paga uma mensalidade para usar esses créditos e, assim, reduzir o valor da sua conta de luz. O CEO explica que o valor da mensalidade depende de quanto o cliente paga na conta de luz, mas segundo ele, no fim das contas o consumidor recebe descontos de 10% a 20% em cima do que ele pagaria à companhia de energia.

“Damos aos clientes a oportunidade de usar energia limpa, economizar e, o melhor, sem nenhum investimento e sem ter que fazer nenhum tipo de obra em seu imóvel”, destaca. Até o momento, a startup atende apenas 20 clientes por causa da capacidade máxima de sua usina em Pedralva. Para aumentar seu atendimento, a empresa está firmando contratos com empresas de energia para alugar plantas solares e aumentar sua capacidade de geração.

Um desses contratos é justamente com a EDP, multinacional de energia que apoiou a startup no programa de aceleração. A empresa vai locar uma planta solar com potência de 91 kWp também em Pedralva. Além disso, a Enercred está ampliando sua primeira usina, que também vai chegar aos 91 kWp. Com isso, a startup vai elevar sua capacidade de geração de energia de 15 kWp para 180 kwp e passar o atendimento de 20 para 120 consumidores até meados deste ano.

Parcerias – O empreendedor destaca que esses números podem ser ainda maiores até o fim do ano. Isso porque a startup já está negociando com novos parceiros para a construção de uma grande usina solar no Norte do Estado. A usina terá capacidade de geração de 5 MW e deve ampliar a carteira de clientes da Enercred para até 3 mil clientes.