Esperamos alcançar a marca de 400 mil downloads até dezembro, disse o diretor de expansão da rede, André Matos - Créditos: divulgação

Com previsão de faturamento de R$ 850 mil em 2019, o Taki App, aplicativo de compras e entregas on-line criado em Minas Gerais, promete alcançar pelo menos 40 cidades até o fim deste ano por meio do sistema de franquias. A começar por Belo Horizonte, onde a ferramenta já se encontra em fase final de implantação.

Antes mesmo do início das operações, mais de 14 lojistas na capital mineira já foram cadastrados na plataforma que tem como proposta o delivery de comércio em geral, com destaque para produtos de supermercados, farmácias e petshops. A rede espera alcançar a marca de 400 mil downloads até dezembro.

As informações são do diretor de expansão da rede, André Matos. Ele diz que a franquia oferece um formato disruptivo, já que consiste em uma plataforma que visa a facilitar e otimizar o atual formato de compras, oferecendo comodidade para o cliente e potencializando a operação do lojista.

“O aplicativo surgiu para trazer a praticidade na hora de comprar. O consumidor ganha em termos de capilaridade, com a gama de produtos ofertados, e o lojista passa a contar com mais um canal de vendas”, explicou.

Em operação há mais de um ano em Barbacena, na região Campos das Vertentes, o aplicativo já é sucesso entre os clientes de uma rede de supermercados da cidade. De acordo com Matos, a operação própria funcionou como um piloto para os ajustes do negócio antes do ingresso no franchising. Da mesma maneira, em Belo Horizonte, a implantação servirá como um modelo para futuras operações em outras capitais do País.

“Nossa meta é alcançar todas as regiões brasileiras até o fim do ano. Já temos contratos para unidades em Caraguatatuba, no interior de São Paulo, e em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul. Além disso, seguimos em negociação com outros franqueados em Minas Gerais e também no Nordeste”, revelou.

O diretor ressaltou que um dos diferenciais do modelo de franquia do Taki estará na atuação do franqueado. Segundo ele, com custo operacional reduzido e fácil gestão, o parceiro fará o trabalho similar ao de um gerente.

O investidor ficará responsável pela captação de lojistas e pela promoção do aplicativo por meio de marketing digital. Já a franqueadora, por todos os ajustes, melhorias e otimizações da plataforma.

“Temos um investimento médio de R$ 59 mil, o que inclui a franquia da marca, adequações do ponto, abertura de empresa e também o capital de giro para subsidiar a operação por seis meses”, contou. O prazo do retorno financeiro estimado pela franqueadora é de 12 meses.