Créditos: DIVULGAÇÃO

AMINTAS VIDAL*

As montadoras lançam séries especiais de seus carros, normalmente, em duas situações: para dar sobrevida aos modelos veteranos, e que já estão prestes a ganhar uma nova geração, ou para aproveitar uma oportunidade de demanda que, na maioria das vezes, resulta em uma variante diferenciada e com valor acima da versão na qual ela se baseia.

A Chevrolet aproveitou as duas oportunidades para lançar a série especial Midnight do SUV compacto Tracker. Incorporou a moda do All Black ao modelo, assim como vez na picape S10, também com este nome, e no sedan médio-compacto Cruze, com a alcunha Black Bow Tie.

O segundo motivo é promover as vendas do atual Tracker, que ganhará nova plataforma na próxima geração e passará a ser produzido no Brasil a partir do lançamento do modelo 2021, provavelmente, já no ano que vem.

Em um processo de renovação dos produtos, iniciado com o Cruze, sucessor do Vectra, passando pelo monovolume Spin, substituto ao mesmo tempo do Meriva e da Zafira, e cominando nos best sellers Onix e Prisma, herdeiros dos Corsa hatch e sedan, entre outros lançamentos, a Chevrolet alcançou a liderança do mercado brasileiro sem ter um SUV nacional compacto ou médio com grande volume de vendas.

Importados do México, os utilitários Tracker e Capitiva (já substituída pelo Equinox) compuseram a linha Chevrolet sem o mesmo brilho dos irmãos, apesar de serem ótimas opções em relação à concorrência.

Em breve, sobre uma plataforma mais flexível em dimensões, surgirão três ou quatro produtos que terão a responsabilidade de manter a marca de origem americana no topo. A GEM (Global Emerging Market) será a base dos novos Onix, Prisma e Tracker, todos produzidos na fábrica de Gravataí (RS) e, possivelmente, de uma picape de dimensões intermediárias entre a Montana e a S10 para encarar a Toro, da Fiat, e o também futuro lançamento da VW para o segmento, a Tarok.

Chevrolet aproveitou as duas oportunidades para lançar a série especial Midnight do SUV compacto Tracker. Incorporou a moda do All Black ao modelo, assim como vez na picape S10, também com este nome, e no sedan médio-compacto Cruze, com a alcunha Black Bow Tie.

O segundo motivo é promover as vendas do atual Tracker, que ganhará nova plataforma na próxima geração e passará a ser produzido no Brasil a partir do lançamento do modelo 2021, provavelmente, já no ano que vem.

Em um processo de renovação dos produtos, iniciado com o Cruze, sucessor do Vectra, passando pelo monovolume Spin, substituto ao mesmo tempo do Meriva e da Zafira, e cominando nos best sellers Onix e Prisma, herdeiros dos Corsa hatch e sedan, entre outros lançamentos, a Chevrolet alcançou a liderança do mercado brasileiro sem ter um SUV nacional compacto ou médio com grande volume de vendas.

Importados do México, os utilitários Tracker e Capitiva (já substituída pelo Equinox) compuseram a linha Chevrolet sem o mesmo brilho dos irmãos, apesar de serem ótimas opções em relação à concorrência.

Em breve, sobre uma plataforma mais flexível em dimensões, surgirão três ou quatro produtos que terão a responsabilidade de manter a marca de origem americana no topo.

A GEM (Global Emerging Market) será a base dos novos Onix, Prisma e Tracker, todos produzidos na fábrica de Gravataí (RS) e, possivelmente, de uma picape de dimensões intermediárias entre a Montana e a S10 para encarar a Toro, da Fiat, e o também futuro lançamento da VW para o segmento, a Tarok.

LEIA TAMBÉM:

Tracker Midnight conta com o moderno motor 1.4 16V turbo capaz de render 150/153 cv

Tracker Midnight – O DC Auto recebeu o Tracker Turbo Midnight, 2019, para avaliação. Baseada na Premier, até então a versão de topo de linha, a Midnight ganhou detalhes na cor preta em algumas peças que são cromadas ou pintadas em cinza na Premier: maçanetas, frisos da base dos vidros e rodas em alumínio de 18 polegadas exclusivas da versão.

Créditos: DIVULGAÇÃO

Mas o que mais chama a atenção é a marca da Chevrolet, a famosa gravata dourada, que também foi aplicada em preto, evidenciando esse modismo que tem origem nos carros tunados e é assunto recorrente em reality shows sobre customização, abundantes na TV por assinatura.

O interior é o mesmo da Premier, inclusive com gravata dourada no centro do volante. Se os revestimentos das colunas e do teto fossem em preto, como em outras séries especiais com essa temática, o Tracker Midnight ficaria ainda mais esportivo e diferenciado.

Créditos: DIVULGAÇÃO

Preço – No site da montadora, o Tracker Midnight tem preço sugerido de R$ 106,29 mil, acima da versão Premier, tabelada em R$ 104,29 mil. A variante temática vem pintada na cor metálica Preto Ouro Negro, com os detalhes descritos acima, em pacote único de equipamentos de série e não oferece opcionais.

A vantagem é ter um maior número de equipamentos de série, inclusive a cor metálica, no preço básico da versão, pois ele irá balizar o valor de revenda do mesmo, sem haver a perda do montante pago a mais por opcionais, já que estes não são considerados no mercado de usados.

A desvantagem é a impossibilidade de equipá-la com mais quatro airbags e outros itens que estão disponíveis em um pacote opcional para Premier, no valor de R$ 3,40 mil.

Itens de série – Os principais equipamentos do Tracker Midnight são: sistema OnStar, teto solar com comandos elétricos, airbag duplo, sistema Isofix, freios com ABS, alerta de movimentação traseira (em marcha ré), alerta de ponto cego, controle de tração e controle eletrônico de estabilidade.

Também conta com faróis de neblina, faróis dianteiros tipo projetor, luz de condução diurna, luz de posição em LED, lanternas em LED e regulagem de altura dos faróis, ar- condicionado, direção elétrica progressiva, assistente de partida em aclive (hill start assist), câmera de ré, coluna de direção com regulagem em altura e profundidade, computador de bordo, controlador de velocidade de cruzeiro com comandos no volante, easy entry – abertura das portas e alarme anti-furto através de sensor de aproximação na chave, sistema stop/start (desligamento e partida do motor automático em paradas do veículo), banco do motorista com regulagem para a lombar elétrica.

O pacote inclui, ainda, sistema multimídia com tela LCD sensível ao toque de 7 polegadas, integração com smartphones através do Android Auto e Apple Carplay, radio Am/Fm, entrada USB e aux-in, função audio streaming, conexão bluetooth para celular e configurações do veículo, controles de rádio e do celular no volante.

O acabamento interno é na cor preto jet black e os bancos apresentam revestimento em material sintético que imita o couro na cor preta com costuras com na cor laranja.

*Colaborador