A acomodação em vacation homes permite ao hóspede realizar atividades corriqueiras - Crédito: Divulgação

A maioria das pessoas já escutou de alguém “viajar é bom, mas chegar em casa é melhor ainda”. Já pensou então se você pudesse unir o melhor dos dois mundos? Viajar para qualquer lugar, mas ainda assim se sentir na sua própria casa? Apenas sair do aeroporto, se deslocar de carro por alguns minutos, abrir a porta e encontrar uma daquelas casas típicas de filme: cozinha equipada, decoração moderna, cômodos amplos e até área de churrasco. Isso já é possível graças a tendência das vacations homes (ou casas de férias), que oferecem aos hóspedes a experiência de ficar em uma casa com serviços e amenidades de um hotel.

Tanto para famílias quanto para casais e grupos de amigos, o grande diferencial de se hospedar em uma casa é a liberdade. Ao invés de ficarem restritos a somente um quarto, os hóspedes podem usufruir de outros cômodos e terem mais privacidade: enquanto os filhos assistem ao desenho na sala, os pais tomam um vinho na área externa. A acomodação em vacation homes ainda permite realizar atividades corriqueiras como malhar no condomínio, fazer compras no supermercado ou preparar um almoço no “quintal”.

Alguns condomínios de “casas de férias” também disponibilizam para os turistas serviços de hotel cinco estrelas e amenidades como recepção 24h, restaurante, concierge, academia e brinquedoteca, o que garante conforto e praticidade. Como é o caso do Magic Village Yards, idealizado pelos empreendedores brasileiros Rodrigo Cunha e Luis Claudio Sinelli, que 11 anos atrás decidiram apostar nesse nicho de mercado com o objetivo de levar todo o conforto de casa para a viagem de férias em Orlando (EUA). Hoje, o Yards é referência nesse serviço e se tornou ponto de encontro de celebridades brasileiras que visitam a Flórida, como Rodrigo Lombardi, Zezé Di Camargo, Daniel, Isabella Fiorentino, Eliana, Marco Luque e Rafa Brites.

A limpeza costuma ser uma preocupação de quem nunca ficou em uma casa durante as férias, mas com os serviços que os próprios condomínios oferecem o hóspede pode aproveitar tranquilamente sem esse receio.

“Eu já havia ido a Orlando outras cinco vezes e sempre fiquei em hotel. Quando várias amigas comentaram que gostavam mais da experiência de ficar em casa com a família fiquei um pouco receosa achando que iria ter trabalho extra, mas resolvi tentar e descobri que elas tinham toda a razão: minha sexta vez no destino ficando em uma casa dentro de um condomínio com serviços foi de longe a vez que mais aproveitei a viagem”, diz a blogueira Nívia Salgado.

E ressalta: “Ficar em uma casa onde você pode tomar o café da manhã sem correr e sem as filas dos hotéis (onde todo mundo quer tomar o café na mesma hora) é muito melhor para toda a família. Poder pedir comida quando chega do parque e receber na sua porta (enquanto sua filha já está no banho) não tem comparação. Mesmo a limpeza não é problema porque no Magic Village Yards, por exemplo, onde ficamos, tinha a opção de contratar uma pessoa para limpar e deixar a casa em ordem”.

A experiência de se hospedar em casa mesmo estando longe de casa tem feito cada vez mais sucesso entre os turistas. Apenas em 2017, o mercado de vacation homes movimentou US$ 100 bilhões, de acordo com a Research and Markets, e ainda deve chegar a US$ 170 bilhões até o fim deste ano. Para Nívia Salgado, que já se hospedou em diferentes hotéis, esta tendência em viagens vale a pena e veio para ficar:

“Não penso em voltar para a Disney e me hospedar de outra forma. Foi a primeira vez que aproveitei e ainda terminei a viagem realmente descansada”.