O setor supermercadista apresentou o melhor resultado, com acréscimo nas vendas de 3,99% de janeiro a agosto (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Seguindo um caminho de recuperação, o varejo da Capital registrou aumento nas vendas durante o mês de agosto de 2018. Levantamento divulgado nessa quinta-feira pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) apontou que o comércio teve o maior crescimento no acumulado do ano desde 2013, com aumento de 2,51% nas vendas. Nessa base de comparação, os setores de supermercados e de veículos e peças foram os que apresentaram os melhores resultados, com acréscimo nas vendas de 3,99% e 3,73%, respectivamente.

Em relação a agosto do ano passado, as vendas do varejo avançaram 1,49%. Entre os segmentos, o maior crescimento foi registrado pelo setor de papelaria e livrarias (3,96%), seguido dos supermercados (3,07%) e do segmento de veículos e peças (2,32%).

Os resultados refletem a melhora de alguns indicadores macroeconômicos como inflação e juros, a leve redução do desemprego e o aumento do rendimento real. Para o vice-presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva, apesar de um crescimento ainda em ritmo lento, o cenário econômico é menos adverso do que nos anos anteriores e, com mais renda disponível, os consumidores conseguem destinar parte dos seus recursos para as compras, o que influenciou positivamente o desempenho do varejo.

“Apesar de ser um crescimento ainda pequeno, foi uma boa sinalização relacionada à retomada da economia, principalmente para esse ano em que estamos vivendo uma crise mais alongada. Observamos também uma recuperação dos impactos causados pela paralisação dos caminhoneiros”, afirmou.

Leia também:

Varejo registra aumento de 1,3%no Brasil

Dia dos Pais – O Termômetro de Vendas da CDL/BH mostrou ainda que o índice real de vendas aumentou 1,24% em agosto na comparação com o mês anterior. A comemoração do Dia dos Pais e a entrada de capital extra na economia via pagamento da primeira parcela do 13º salário dos aposentados do INSS influenciaram esse crescimento na avaliação de Marcelo de Souza e Silva.

“As datas comemorativas sempre contribuem para o aumento das vendas e, neste ano, além do Dia dos Pais, que ajudou a movimentar o comércio, o mês de agosto ainda não sofreu tanta influência da incerteza causada pelas eleições”, explicou.

Acumulado – Nos últimos doze meses, o varejo da Capital acumulou alta de 3,58% nas vendas segundo os dados divulgados pela CDL/BH. Todos os setores tiveram crescimento nessa base de comparação, com destaque, novamente, para veículos e peças (6,51%) e supermercados (4,55%), além das drogarias e cosméticos (4,24%) e artigos diversos (3,94%).

“Estamos conseguindo, aos poucos, retomar o ritmo de crescimento. Mas sabemos que ainda falta um longo caminho para a recuperação das perdas dos últimos anos. A confiança do lojista está melhorando, mas ainda esperamos um impacto negativo em setembro como reflexo do cenário político”, comentou Silva.