Dados da Abeifa apontam que foram comercializados 4.475 unidades no primeiro bimestre. Crédito: Alisson J. Silva

A venda de veículos importados em Minas começou 2019 apresentando aquecimento. O número de unidades comercializadas no Estado nos meses de janeiro e fevereiro chegou a 4.475, uma alta de 21% em relação a igual período de 2018, quando foram vendidos 3.698 automóveis.

O levantamento é da Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa), que projeta para o País crescimento de 33% nos resultados do setor este ano no comparativo com o exercício anterior, com venda de 50 mil unidades.

Empresários que atuam no segmento em Belo Horizonte estão otimistas e afirmam que já perceberam, no início deste ano, um aquecimento nas vendas.

Propostas de redução de impostos, maior confiança do consumidor e lançamentos de novos modelos amparam o cenário de melhora. Por outro lado, há preocupação com o dólar e o apelo para que medidas do governo federal sejam, de fato, implantadas.

A percepção de melhora dos comerciantes da Capital coincide com os números. Segundo dados da Abeifa, em Belo Horizonte, as vendas também tiveram incremento. O número de veículos importados vendidos em janeiro e fevereiro de 2019 foi de 2.244, alta de 17% em relação a igual período de 2018 (1.924).

Proprietário da Diamond Motors, Daniel Duarte de Oliveira analisa que há propostas do governo federal que podem movimentar o mercado de carros importados em 2019. Uma delas é a redução de impostos, principalmente do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Oliveira pondera que, atualmente, a maioria do consumidor brasileiro não tem acesso ao carro importado, mas a diminuição dos tributos pode deixar o produto mais acessível. A Diamond Motors, que fica na avenida Barão Homem de Melo, trabalha com marcas como Mercedes-Benz, Audi, Volvo e BMW.

Sócio-proprietário da Tutti Veículos, Ricardo Curi Safadi, disse que já observou, neste início de ano, uma maior procura por carros importados na concessionária, que fica em Lourdes, na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Ele acredita que 2019 reúne condições para ser um bom ano de vendas. Isso ocorre, na opinião de Safadi, devido à credibilidade de novas frentes de ideias no quadro político do país, o que leva o consumidor a ficar mais confiante para gastar.

LEIA TAMBÉM:

Estimativa é de segundo ano positivo

Seminovos – Presidente da Associação de Revendedores de Veículos no Estado de Minas Gerais (Assovemg) e membro da diretoria Federação Nacional das Associações de Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), Glênio Leonardo de Oliveira Júnior informa que as perspectivas são positivas também para as vendas de seminovos importados. Ele é proprietário da Álamo Motors, que trabalha com seminovos.

Segundo ele, as vendas de seminovos importados em Minas mostrou crescimento de 1,8% em janeiro e fevereiro deste ano em relação a iguais meses de 2018. No comparativo 2018/2017, houve alta de 2,5%. Para 2019, as perspectivas são de incremento.

Um dos fatores que leva a essa perspectiva positiva é o a previsão de grande número de lançamentos de importados este ano. Com isso, há tendência do aumento de pessoas querendo trocar seus veículos, o que aquece também o setor de seminovos.

Glênio de Oliveira considera como outro componente que contribui para o cenário positivo a estabilidade dos juros. Além disso, como veículos importados agregam maior tecnologia, têm grande apelo junto aos consumidores.

Por outro lado, uma das preocupações do setor é com a alta do dólar. “É necessário manter a estabilidade para deixar o preço (do carro importado) atrativo”, explica. Ele ressalta que, para que o otimismo apresentado neste início de ano permaneça, é necessário que o governo federal trabalhe para realizar o prometido, como reformas estruturantes.