Crédito: REUTERS/ Nacho Doce

São Paulo – A Via Varejo, dona da Casas Bahia e do Pontofrio, teve prejuízo líquido de R$ 49 milhões no primeiro trimestre, afetada por menores vendas, mas previu aumento de margens neste ano.

O resultado de janeiro a março representou uma reversão ante lucro líquido de R$ 64 milhões um ano antes.

“Apesar de um início ainda desafiador, principalmente pelos primeiros 20 dias do ano (legado do final de 2018 (…), o primeiro trimestre apresentou resultados que sinalizam o primeiro passo na recuperação operacional da companhia”, disse a empresa em relatório.

O resultado operacional da companhia medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), somou R$ 521 milhões, queda de 18,2% no comparativo ano a ano. A margem Ebitda ajustada foi de 8,2%, ante 9,7% um ano antes.

A Via Varejo também anunciou cisão e incorporação da Cnova e afirmou que isso trará aumento da eficiência logística e fiscal.

A companhia teve receita líquida de R$ 6,33 bilhões entre janeiro e março, cifra 4% menor ano a ano.

No conceito mesmas lojas, importante termômetro para o desempenho de lojas abertas há pelo menos um ano, as vendas brutas caíram 1,9%. Já as vendas totais on-line medidas pelo Gross Merchandise Volume (GMV) avançaram 1,7%.

As ações da companhia encerraram a terça-feira em alta de 2,3% na bolsa paulista, superando o desempenho do Ibovespa, que avançou 1,4%. Em 2019, os papéis da Via Varejo acumulam perda de 10,5%.

Previsões – A Via Varejo prevê investimentos entre R$ 550 milhões e R$ 600 milhões em 2019, ano no qual também estima aumento da margem Ebitda em função da nova estratégia comercial, da redução de despesas e da alavancagem operacional.

A empresa também previu crescimento da receita bruta no conceito mesmas lojas de 2 pontos percentuais acima da inflação medida pelo IPCA. Para o GMV faturado, a expectativa é de alta de 15% a 20% no ano. (Reuters)