Crédito: Divulgação

O prefeito de Uberaba, Paulo Piau (PMDB), esteve nesta semana com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), para dar continuidade à pauta do gasoduto. Em agosto, ele já havia se reunido com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), para tratar do mesmo tema.

O projeto, que prevê a saída da cidade de São Carlos (São Paulo) passando pelo Triângulo Mineiro e por locais como Goiânia (Goiás) e Brasília (Distrito Federal), deverá receber investimentos privados na ordem de R$ 1 bilhão apenas na primeira etapa, no trecho São Carlos-Uberaba.

Segundo o prefeito, uma nova reunião deverá acontecer entre Ibaneis Rocha, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, e Ronaldo Caiado, tão logo haja agenda, para que se possa avançar em relação ao assunto. Caso os planos realmente comecem a acontecer, as expectativas são de que o gasoduto fique pronto em três ou quatro anos.

Em entrevista ao DIÁRIO DO COMÉRCIO ainda no início deste ano, o prefeito chegou a afirmar que, possivelmente, o projeto do gasoduto sairia do papel já em 2020.

“O gás ainda será uma matéria-prima para as próximas décadas e está sobrando no pré-sal. Há 35 anos que o Triângulo Mineiro luta pela chegada do produto. Temos perdido muitos investimentos porque não temos gás”, destaca.

“Para o governador Zema, é uma oportunidade de ele trazer um insumo fundamental hoje para o processo industrial”, afirma.

Além disso, o prefeito lembra ainda que, acabando o monopólio da Petrobras, os preços do produto deverão cair, o que viabiliza o gás veicular, doméstico como insumo e matriz energética.

Cenário – De acordo com Paulo Piau, a implantação da fábrica de ureia no município, cujo pré-estudo de viabilidade econômica já foi realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), deverá consumir 3 milhões de metros cúbicos de gás por dia, o que já é capaz de tornar realizáveis os investimentos no gasoduto.

A ideia, portanto, segundo Piau, é que o governo esteja antenado para colocar como prioridade a vinda dessa infraestrutura para a região mineira.

“Investidores para isso não faltam”, salienta ele. “Já há interessados”, completa.

Benefícios – O prefeito de Uberaba destaca que serão muitas as vantagens que o município terá com o gasoduto, que poderão ser sentidas nas mais diferentes frentes.

“Estamos falando de geração de emprego e renda, geração de impostos, de receita”, frisa.

“Vamos trazer o gás para uma região de Minas Gerais que conta com um potencial altamente produtivo”, diz.

Histórico – Várias ações vêm sendo tomadas por Paulo Piau com o intuito de viabilizar o gasoduto no Estado. Em março, por exemplo, o prefeito se reuniu com representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) e demais entidades mineiras para discutir a relevância do projeto para Minas Gerais. Na ocasião, o prefeito sinalizou que a reunião foi promissora.