Crédito: Daniel Mansur

A venda de minério de ferro continua encabeçando a lista de produtos exportados de Minas para a Ásia, mas as operações mostraram queda. Por outro lado, outros setores, como de matéria têxtil e suas obras, registraram alta. Conforme informações do Ministério da Economia, as exportações de minerais do Estado para a Ásia (exclusive Oriente Médio) movimentaram US$ 2,73 bilhões de janeiro a julho deste ano, com queda de 2,5% frente a igual período de 2018 (US$ 2,8 bilhões). O recuo só não foi mais acentuado devido à alta no preço do minério. Em relação ao volume, as exportações passaram de 55,9 milhões de toneladas em 2018 para 43,04 milhões de toneladas neste ano (de janeiro a julho), com queda de 23%.

Nessa base comparativa, matérias têxteis e suas obras destacaram-se nas exportações. As vendas desse segmento de Minas para a Ásia (exclusive Oriente Médio) saltaram de US$ 139.815 em 2018 (janeiro a julho) para US$ 31,2 milhões neste ano. O impacto veio, basicamente, das vendas do algodão, conforme informação da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). De qualquer forma, as importações nessa área continuam maiores, sendo que este ano ficaram em US$ 78,06 milhões.

As exportações do segmento de calçados subiram de US$ 808,8 mil no ano passado (janeiro a julho) para US$ 2,51 milhões em 2019.

No comércio exterior de Minas, a China ocupa o primeiro lugar em exportação, com 29% do total. Em seguida vêm Estados Unidos (9,2%); Países Baixos (Holanda) (5%); Japão (4,8%); Reino Unido (4,3%); Alemanha (4%); e Argentina (3,7%), entre outros. No caso das importações, a China também tem a liderança, com 19%. Em seguida aparecem Estados Unidos, 16%; Argentina, 9,8%; Alemanha, 5,9%; e Itália, 4,6%. Os dados se referem ao período de janeiro a julho deste ano.