COTAÇÃO DE 26/11/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5950

VENDA: R$5,5960

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6300

VENDA: R$5,7570

EURO

COMPRA: R$6,3210

VENDA: R$6,3222

OURO NY

U$1.792,60

OURO BM&F (g)

R$322,88 (g)

BOVESPA

-3,39

POUPANÇA

0,4620%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

DC FRANQUIA Negócios-destaque

Estado ganha atenção das redes de ensino de idioma

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação

O domínio de uma segunda língua, especialmente o inglês, tem sido cobrado pelas empresas não mais como um diferencial, mas como uma obrigação por boa parte dos candidatos a uma vaga de emprego. De acordo com a 53ª edição da Pesquisa Salarial da Catho, que entrevistou mais de 13 mil pessoas, falar fluentemente inglês pode até mesmo dobrar o salário de um profissional, em comparação a um funcionário que não é bilíngue. Em um estudo da Hays (empresa inglesa de serviços de recrutamento e recursos humanos), o inglês aparece como a língua mais requisitada na comunicação interna das empresas, com 91%, seguida do espanhol, com 42%.

Diante desse cenário, Minas Gerais se torna um território disputado com todas as forças pelas redes de ensino de idiomas, especialmente as franqueadas. O Estado com 853 municípios e a segunda maior população do País – 21,7 milhões de pessoas, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para 2019 – oferece oportunidades para todos os perfis e portes de escolas.

PUBLICIDADE

Criada em Uberlândia, no Triângulo, a Park Idiomas, reformulou a marca em 2016 e viu o negócio mudar de patamar. De acordo com o CEO da Park Idiomas, Paulo de Arruda Ribeiro, atualmente são 81 unidades e a expectativa é fechar 2020 com 180.

“Tínhamos um problema de comunicação. Era um produto totalmente inovador e a comunicação não dizia isso, parecia com o mercado tradicional. Criamos um lugar descontraído, em que o aluno pode se expor, ganhando autoconfiança. Também reorganizamos o modelo para escolas menores, com mais conveniência”, explica Ribeiro.

A presença da marca no Estado se concentra nas regiões do Triângulo e Sul de Minas. Na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) são apenas três. A meta é chegar ao fim de 2021 com 40, sendo cinco até o fim deste ano. Para isso estão disponíveis cinco modelos, com investimento médio entre R$ 60 mil e R$ 190 mil: mini (R$ 60 mil); quiosque (R$ 75 mil); Express (R$ 100 mil); Grand (R$ 150 mil) e Splendid (R$ 190 mil).

A curitibana InFlux também mira Minas Gerais. Segundo o gerente de Expansão da rede, Fábio Medeiros, com 15 anos no mercado, a inFlux English School conta com 155 unidades franqueadas. Em Minas Gerais, são sete unidades em Belo Horizonte, uma em Uberlândia e outra em Itabira (região Central). Duas inaugurações estão previstas ainda para 2019: Uberaba, no Triângulo, e Patrocínio, no Alto Paranaíba.

“Minas Gerais é determinante na nossa estratégia. Até agora temos nossa expansão bastante concentrada entre o Paraná e São Paulo, até mesmo por causa da nossa origem. Minas tem potencial para ser o nosso segundo mercado. Temos 44 cidades mapeadas que podem gerar um número bem maior de unidades. Cidades como Juiz de Fora (Zona da Mata), por exemplo, comportam até três unidades”, pontua Medeiros.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!