COTAÇÃO DE 14/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2710

VENDA: R$5,2710

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2700

VENDA: R$5,4330

EURO

COMPRA: R$6,3961

VENDA: R$6,3990

OURO NY

U$1.843,90

OURO BM&F (g)

R$311,62 (g)

BOVESPA

+0,97

POUPANÇA

0,2019%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

DC Mais

Artesanato cria renda para mulheres

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação

“Tecer relações, tecer culturas e tecer fazeres”: esse é o mote da exposição “Brumal e seus encantos”, aberta ao público para visita virtual desde 1º de abril. A coleção, que ficará exposta em ambiente on-line por dois anos, é composta por produtos elaborados por artistas e artesãs de Brumal, distrito de Santa Bárbara (MG) e comunidades do entorno. A produção aconteceu em oficinas on-line realizadas durante a pandemia. A Cenibra apoia a iniciativa desde 2012, sendo uma das primeiras empresas patrocinadoras.

Após a permissão para reabertura do espaço, a exposição também estará aberta ao público de forma presencial, seguindo todos os protocolos de proteção contra a Covid-19, na Sala do Visitante do Parque Natural da Serra do Caraça, até o dia 30 de abril. Lá, além de apreciar as obras, os visitantes terão a oportunidade de tecer uma peça utilizando um tear mineiro de pente, liços e pedais para levar para casa como lembrança de sua visita à região. Ao findar o período de exposição no parque, as obras serão transferidas para a Casa das Tecelãs de Brumal, onde as visitas continuarão, mediante agendamento.

PUBLICIDADE

 Fundada por bandeirantes no início do século XVIII, a Vila de Brumal está localizada entre as serras do Caraça, Piedade e do Gandarela, fazendo parte do Circuito Entre Serras e da Estrada Real. Os produtos da exposição mesclam técnicas artesanais para representar os bens patrimoniais tombados da comunidade – como a Igreja de Santo Amaro, o casario colonial e a Cavalhada de Brumal  – e diversos fazeres artesanais, criando produtos com identidade própria e com a cara da vila.

    Entre os produtos expostos na plataforma virtual, encontram-se bastidores, painéis, almofadas, cortinas e estandartes. “Na nossa concepção, os bens patrimoniais têm que ser venerados como entidades, então os estandartes são uma representação simbólica da cultura a ser resguardada e venerada”, conta a idealizadora do projeto, Dilce Mendes.

Um dos principais objetivos do projeto “Brumal e seus encantos”, do qual derivou a exposição, é fortalecer o papel da Casa das Tecelãs de Brumal que, desde 2012, reavivou a cultura da tecelagem no distrito e colocou Brumal no mapa turístico da Estrada Real. Além de ser uma difusora da cultura local, a Casa teve papel relevante na inserção das mulheres no mercado de trabalho. “O trabalho da associação ajuda a tirar o estigma de ‘passatempo’ do artesanato e o coloca no lugar de instrumento de trabalho e geração de renda. A mulher passa a ser reconhecida como produtora da economia criativa”, explica Dilce. Partindo do carro-chefe, o tear, os participantes das oficinas produziram peças que mesclam técnicas como crochê, bordado e cestaria, utilizando resíduos têxteis e fibras naturais, como o bambu.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!