Crédito: Magali Moraes

Brumadinho passou por momentos muito difíceis e para contribuir com o fortalecimento dos valores culturais locais, da autoconfiança da comunidade e do ambiente cultural, foi criado o programa “Caminhos da Arte”. Trata-se de uma iniciativa de promoção continuada de atividades reflexivas e de qualificação técnica cultural para os moradores de Brumadinho, estimulando a retomada gradual das atividades criativas, dando a oportunidade para um público jovem e adulto participar de vivências e atividades formativas artísticas.

Concebido e idealizado pela Fundação Clóvis Salgado, por meio do Palácio das Artes e do Centro de Formação Artística e Tecnológica – Cefart, com o patrocínio da Caterpillar e do Instituto Social Sotreq – iSSO, “Caminhos da Arte” é um grande programa humanístico de atuação cultural, artística, social e econômica, pautado na promoção de experiências criativas, artísticas e de desenvolvimento humano para a população de Brumadinho. A iniciativa tem um escopo amplo de atuação que se estenderá por um ano.

Em função das medidas restritivas para conter o avanço da pandemia da Covid-19, a primeira etapa do projeto será realizada em formato virtual, visando garantir a segurança dos participantes e envolvidos. A previsão para o próximo ano é que as atividades aconteçam de forma presencial.

A programação de atividades online oferece palestras, conversas com artistas, educadores e articuladores de Brumadinho e de outras regiões do país, além de oficinas exclusivas para moradores do município. As atividades formadoras, profissionalizantes e reflexivas terão início na próxima terça-feira. Toda a programação é gratuita.

O programa “Caminhos da Arte” tem como esferas norteadoras três princípios: técnico – evidenciando o potencial de geração de emprego, renda e atividades econômicas; artístico – que fomenta a expressão cultural e a inclusão social e de bem-estar, como fator motivador da qualidade de vida humana. Todas as atividades foram pensadas para o desenvolvimento individual e coletivo.

“Estamos muito felizes com a realização do programa Caminhos da Arte, pela chance que ele nos dá de contribuir com o fortalecimento da identidade local, agregando novos saberes e ofícios, gerando atividades econômicas e renda para jovens e adultos por meio de inovações possíveis no campo da arte. É a possibilidade de geração de impacto social, econômico e humano que a arte e a cultura possuem. Nos orgulha muito contar com a parceria da Caterpillar e da iSSO neste programa, viabilizando ações de formação cultural de relevância para as comunidades de Brumadinho”, afirma a presidente da Fundação Clóvis Salgado, Eliana Parreiras.

Um dos propósitos básicos do programa “Caminhos da Arte” é a criação de uma rede de apoio da iniciativa privada e sociedade civil, por meio do poder transformador da arte e da cultura, para fomento da comunidade local e geração de impacto social, econômico e humano.

Abertura – O cantor, compositor e instrumentista Carlinhos Brown (foto) é convidado especial para a palestra de abertura do programa “Caminhos da Arte”, nesta segunda-feira (23), às 19h. Ele vai relatar sua história artística e os caminhos que trilhou até conquistar o espaço que ocupa hoje na Música Popular Brasileira (MPB). A abertura contará também com performance musical do violonista Andre Luis, artista de Brumadinho. O evento será transmitido pelo site do programa (www.cdabrumadinho.com.br). O link será disponibilizado pelas redes sociais do programa (@cdabrum) e também pelo site da Fundação Clóvis Salgado/Palácio das Artes (fcs.mg.gov.br).

Na terça-feira (24), as atividades seguirão o tema “Arte que inspira” e fomentam o debate sobre a experiência da arte para criadores e também para quem a vivencia. Às 19h, uma roda de conversa reúne a cantora e compositora Zélia Duncan como mediadora dos ceramistas Jéssica Martins e José Alberto Bahia (o Bebeto) do Saracura Três Potes de Brumadino, o alemão Benedikt Wiertz – que reside e trabalha em Brumadinho, além de Inês Antonini, artista plástica que tem seu ateliê na região.

Na quarta-feira (25), o eixo temático será “Arte que liberta”, analisando a arte como forma de expressão e circulação de conhecimento, empoderando indivíduos e criando narrativas libertadoras. Com mediação da jornalista e escritora Leila Ferreira, a roda de conversa receberá Dina Braga (Brumadinho), Presidente e coordenadora do grupo Afro, Canto e Dança “Negro Por Negro”; e Rosália Diogo (Belo Horizonte), professora e jornalista.

Na quinta-feira (26), o tema “Arte que transforma”, dá luz aos debates sobre a arte e a cultura como ferramentas para a restauração da vida, saúde e bem-estar individual e coletivo. A discussão contará com mediação da repórter Tábata Poline (TV Globo Minas) e com a presença do músico e produtor Sanrah Ângelo, do projeto social Batucabrum, de Brumadinho, e Nil César, fundador e gestor da Casa do Beco, espaço de intercâmbio de experiências culturais no Aglomerado Santa Lúcia, em Belo Horizonte.