COTAÇÃO DE 01/12/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6700

VENDA: R$5,6710

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6870

VENDA: R$5,8270

EURO

COMPRA: R$6,3654

VENDA: R$6,3672

OURO NY

U$1.779,55

OURO BM&F (g)

R$322,58 (g)

BOVESPA

-1,12

POUPANÇA

0,4412%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

DC Mais

Clara Delgado lança o primeiro álbum

COMPARTILHE

#DC Mais | Imagem: Pexels / Arte: Will Araújo
#DC Mais | Imagem: Pexels / Arte: Will Araújo

A letrista e compositora Clara Delgado, de 27 anos, lança seu primeiro álbum. “Antes da palavra” é composto por canções inéditas feitas em parceria com o músico Flávio Henrique. O lançamento ocorre hoje,  às 20h, em formato de Sarau – conduzido por Brisa Marques – com a presença de artistas convidades. A produção é de Flávia Mafra e a direção musical de Juliana Perdigão. O eventos de lançamento acontecem pela plataforma Zoom e os ingressos devem ser retirados gratuitamente pelo Sympla. A partir de hoje, o disco estará disponível em todas as plataformas digitais.

“Esse disco foi poeticamente pensado no lugar da palavra (ou o que vem antes dela), algo do meu encontro com Flávio”, relata Clara Delgado. A letrista e Flávio compuseram juntos ao todo 13 canções, entre 2016 e 2017. “Ele gostava de fazer a música antes e depois a gente colocava letra. Água menina foi a primeira. Eu havia acabado de me mudar para uma casa, em Santa Tereza, com quintal grande, bastante convidativo para se passar horas e compor, e Flávio foi me visitar”, lembra.

PUBLICIDADE

Segundo a artista, o elo entre as canções tem “esse lugar do afeto” construído no curto período em que se conheceram e passaram juntos. “Ele tinha o desejo de fazê-las virarem um disco, mas não deu tempo”, lamenta.

Em janeiro de 2018, o músico Flávio Henrique falece em decorrência da febre amarela. Clara Delgado, que na época tinha apenas 22 anos, ficou impressionada com o tamanho do parceiro. “Fui vendo o movimento e a emoção de todo mundo, músicos e pessoas da cultura. Sabia que Flávio era importante para a cidade e para a música mineira, e entendi que essas músicas não eram só minhas, precisavam ganhar corpo, serem gravadas”, diz.

No disco, são ao todo 12 faixas, mas apenas “Palavra Menina” aparece gravada em forma de poema.

Parcerias – Algumas canções foram compostas por Clara e Flávio em parceria com Vinícius Ribeiro (música), Vinícius Carvalho (letra), Lucas Fainblat (letra), Vitor Santana (música e letra) e Luciana Gerhard (letra). “Flávio era uma pessoa muito aberta e generosa quando se tratava de parcerias. Sempre falava de amigos, amigas compositores (as) com quem gostava de compor e tinha vontade de que fizéssemos músicas também com elas”, conta.

Outra grande parceria de música e vida de Flávio Henrique é a cantora, instrumentista e performer Juliana Perdição, que assina a direção musical do disco e participa da faixa ‘Outra Página’. “É uma artista múltipla que nos permitiu explorar lugares esteticamente diferentes nas gravações. Isso faz do disco algo tão meu quanto do Flávio”, diz.

A criação dos arranjos, em sua maioria, foi coletiva, feita pela banda: Luísa Mitre (piano e teclado), Camila Rocha (baixos acústico e elétrico), Luiza Brina (violões e guitarra), Analu Braga (bateria e percussão) e por Juliana Perdigão. Somam-se ao time as instrumentistas convidadas Kamila Druzd (viola) e Elise Pittenger (violoncelo) – musicistas da filarmônica – além de Chaya Vazquez (percussão), Natália Coimbra (trombone), Aline Gonçalves (clarinete e flauta) e Nath Rodrigues, que além de cantar, toca violino. As gravações, edições e mixagens são de Flora Guerra e a assistência em estúdio de Debris Oliveira.

Para interpretar as canções foram convidadas artistas cujos elos se estabelecem com Clara, por este trabalho e por sua trajetória artística, e também vozes que dividiram com Flávio Henrique diferentes momentos de sua carreira, como. São elas: Trio Amaranto, Mariana Nunes, Claudia Manzo, Brisa Marques, Nath Rodrigues, Raquel Coutinho, além da própria diretora musical, Juliana Perdigão, e Luiza Brina, que faz parte da banda do disco. Clara adianta que apesar de não ser intérprete, vai cantar no disco. “Sou uma compositora e letrista que canta este repertório”, o que explica o fato do lançamento não acontecer em formato de show. “O disco está vindo a público de um jeito muito meu”, resume.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!