Cotação de 03/08/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,1920

VENDA: R$5,1930

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,1930

VENDA: R$5,3470

EURO

COMPRA: R$6,2205

VENDA: R$6,2217

OURO NY

U$1.810,36

OURO BM&F (g)

R$305,16 (g)

BOVESPA

+0,87

POUPANÇA

0,2446%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

DC Mais
Crédito: Freepik

Centenário de  Krajcberg

O Centro Cultural UFMG lançou nesta semana o projeto “Diálogos: artista e curador”, que pretende disponibilizar exposições virtuais em formato de videodocumentários mensalmente nas redes sociais da instituição. A partir de recortes curatoriais cronológicos, os vídeos trazem uma linha evolutiva no tempo e no percurso da criação do artista, oferecendo ao espectador a oportunidade de percorrer virtualmente pelas obras, através de simulação 3D, sendo mediado pelos comentários do artista e do curador. Para dar início ao projeto o Centro Cultural UFMG realiza uma homenagem ao centenário de nascimento de Frans Krajcberg, importante artista internacional radicado no Brasil, com a abertura da “Exposição: arte e vida – Frans Krajcberg (12/04/1921 – 15/11/2017) – Homenagem ao centenário de nascimento”.

Humor de Belmiro Braga

Nem todo mundo conhece o humor mineiro de Belmiro Braga. Mas o público da Academia Mineira de Letras terá essa oportunidade. A pesquisadora Leila Barbosa apresenta a palestra “Belmiro Braga: o poeta da AML e do Caminho Novo”. O conteúdo está disponível no YouTube da AML. O escritor que comprava livros e os desmanchava para poder ler no trabalho sem que o patrão percebesse é o mesmo que encantou os leitores brasileiros no último século. Belmiro Braga ganhou relevância a ponto de ter sua cidade natal batizada com seu nome e será lembrado ao longo da palestra proferida pela pesquisadora Leila Barbosa. Entre os assuntos bordados estão a verve satírica do escritor e sua fina ironia, presentes, principalmente, nos textos publicados nos jornais O Pharol e Correio de Minas, em Juiz de Fora. Leila Barbosa é formada em línguas neolatinas pela Faculdade de Filosofia e Letras de Juiz de Fora (Fafile- JF).

Festival Tradições

PUBLICIDADE

Uma noite animada ao embalo de variados ritmos musicais brasileiros. Essa é a proposta de Saldanha Rolim que apresentará a live show “Brasilidade” no Festival Tradições, hoje, às 19 horas. A transmissão ao vivo será feita pelo YouTube da Favo Cultural e conduzida pelo apresentador Saulo Salomão. Haverá intérprete de libras. Saldanha Rolim apresentará composições do recente CD “Brasil Usina da Alegria”, que destaca a riqueza da diversidade rítmica brasileira, como bumba-meu-boi, côco, embolado, carimbó, baião, xote e muito mais. Cearense de Parambu e criado em São Luís do Maranhão, o cantor e compositor chegou às terras mineiras no fim dos anos 80 e reside hoje em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha.

Mulheres no cinema

Seguindo na contramão da indústria hollywoodiana, muitas mulheres descobriram no cinema experimental uma forma de romper com os gêneros instituídos por homens. Surgiram então nomes em diferentes épocas, como Agnès Varda e Chantal Akerman, que mostram que elas conquistaram espaço. O Cinematógrafo, da Rede Minas, traz o tema para a atração. Hoje, às 20h30, no “Cinematógrafo” da Rede Minas, a professora da UFMG Roberta Veiga vai falar sobre o assunto. A ousadia que levou as mulheres para trás das câmeras também conquistou espaços no Brasil. Em Minas Gerais, a cineasta e presidente da Associação Maxakali de Aldeia Verde, Sueli Maxakali, começou a produzir filmes focados na cultura indígena. Ela participa do “Cinematógrafo” e conta sobre os trabalhos que conquistaram público dentro e fora das aldeias.

“Embu, Terra das Artes”

A resistência artística junto à luta pela preservação ambiental é cenário comumente identificado em muitas localidades do País, não sendo diferente na cidade de Embu das Artes, no estado de São Paulo. O documentário “Embu, Terra das Artes”, da diretora Maria de Fátima Seehagen, é destaque da “Faixa de Cinema”, da Rede Minas, hoje,  às 23 horas. O longa retrata a batalha da população quando ameaçada pela construção de um anel rodoviário que compromete as últimas áreas verdes e a sobrevivência do núcleo de arte na região. A diretora e roteirista Seehagen evidencia o problema que a cidade enfrenta. Artistas e moradores relatam como Embu das Artes sofre com a especulação imobiliária e um corredor industrial, ressaltando a riqueza ecológica, da fauna e flora da região. A obra pode ser conferida, no mesmo horário, pelo site da emissora: redeminas.tv.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!