Homenagem celebrada no saguão do Ciemg inaugurou placa em reconhecimento ao empreendedorismo do presidente do Grupo Orguel | Crédito: Will Araújo

Will Araújo

Respeito, alteridade, memória, dever e calor fraterno. Esses foram valores evocados pela cerimônia de inauguração da placa em reconhecimento ao industrial Francisco Guerra Lages, presidente do Grupo Orguel, pelos trabalhos prestados em prol do desenvolvimento econômico do estado.

A homenagem foi conferida na noite da quarta-feira (12) pelo Centro Industrial e Empresarial de Minas Gerais (Ciemg), na figura de Cássio Braga e Flávio Roscoe, presidente do Ciemg e presidente do Conselho Superior do Ciemg, respectivamente.

O evento foi impulsionado por Rodrigo P. Guerra Lages e Felipe P. Guerra Lages, ambos filhos do industrial líder do Grupo Orguel e membros do Ciemg como vice-presidente e primeiro diretor-secretário, na devida ordem.

A cerimônia foi marcada pela presença dos familiares e amigos de Francisco, com um coquetel que sucedeu aos discursos.

Cássio Braga e Flávio Roscoe fizeram a abertura dos microfones exaltando a contribuição de Francisco para o associativismo e geração de oportunidades em Minas Gerais e todo país.

Eles ressaltaram as cinco décadas de existência da Orguel e como seus líderes foram perseverantes, responsáveis e compromissados com o crescimento mútuo da empresa e do setor industrial no estado.

Quando Rodrigo P. Guerra Lages subiu no palanque, as emoções do pai desceram pelos olhos. O discurso do vice-presidente do Ciemg trouxe à tona memórias de infância, em que Francisco ensinava, com exemplos empíricos, o valor do trabalho, da honestidade e da firmeza de caráter.

A filosofia altruísta, de servidão ao necessitado, e os ditados populares ecoados pelo industrial do Grupo Orguel servem como lemes profissionais para os filhos até os dias atuais.

Muitas aplausos e lágrimas seguiram ao discurso emotivo de Rodrigo, e a placa foi inaugurada. Os agradecimentos de Francisco foram igualmente calorosos à cerimônia oferecida.

Os gestores da Ciemg pretendem, com a homenagem, dar inspiração aos demais servidores do prédio, os quais passarão cotidianamente pelo semblante do presidente do Grupo Orguel.

O Grupo Orguel

A “Organização Guerra Lages” (Orguel) surgiu em 1963 por meio da iniciativa de dois irmãos empreendedores: Fábio Guerra Lages e Francisco Guerra Lages, naturais de Conceição do Mato Dentro em Minas Gerais. À época, ambos exerciam profissões remuneradas e desejavam ter a própria empresa.

Fábio trabalhava com a venda de máquinas do grupo francês Schneider-Creusot. Francisco dividia o tempo entre o curso de administração e o trabalho comissionado para empresa de conservação de prédios e limpeza pós-obras do tio.

O sonho nasceu com o nome de Provenda — a primeira empresa registrada pelos dois irmãos. O primeiro trabalho com raspagem de tacos, apesar de não muito rentável, ocorreu durante a construção do edifício Arcângelo Malleta, situado na esquina das ruas da Bahia e Augusto de Lima, no Hipercentro de Belo Horizonte.

Por causa do pouco lucro, os irmãos decidiram vender os equipamentos usados no trabalho. Em seguida, Fábio foi convidado pela empresa “Máquinas Pesadas” para abrir uma distribuidora dos produtos na capital de Minas Gerais.

Como o sonho de ambos era ter o próprio negócio, ele sugeriu a Francisco que usassem a Provenda para essa finalidade. Assim veio à luz a Orguel, em uma loja alugada na Galeria do Ouvidor, no Hipercentro de Belo Horizonte, em julho de 1966.

Atualmente, o Grupo Orguel é formado pelas marcas Orguel, Locguel e Mecan, tem filiais em todo Brasil e “oferece equipamentos para locação e soluções customizadas para os setores da indústria, edificação e infraestrutura”.

Leia também: Francisco Guerra Lages é homenageado no Ciemg
[Galeria de Fotos]