COTAÇÃO DO DIA 22/01/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4780

VENDA: R$5,4790

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5070

VENDA: R$5,6470

EURO

COMPRA: R$6,6088

VENDA: R$6,6101

OURO NY

U$1.853,68Pg�

OURO BM&F (g)

R$ (g)

BOVESPA

-0,80

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

Mercantil do Brasil - ADS

INFORMAÇÕES DO DOLAR

DC Mais
Página Inicial » DC Mais » Museu do Colégio do Caraça é reaberto com visita guiada

Museu do Colégio do Caraça é reaberto com visita guiada

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Crédito: Divulgação

O Santuário do Caraça (Estrada do Caraça, Km 9), entre os municípios de Catas Altas e Santa Bárbara), é um dos destinos turísticos mais procurados do País. No entanto, muito além de toda a sua riqueza natural e a vasta gastronomia, o lugar traz consigo histórias marcantes, como exemplo, a do museu com objetos do Colégio do Caraça.

A instituição de ensino, que foi caracterizado por sua seriedade e qualidade nos métodos educacionais, teve alunos ilustres, como dois presidentes da República, Afonso Pena (1906 a 1909) e Artur Bernardes (1922 a 1926), além de governadores, senadores, deputados e autoridades eclesiásticas.

Mas, não somente de glórias e muitas alegrias viveu o Colégio do Caraça, já que na madrugada do dia 28 de maio do ano de 1968, um pequeno fogareiro elétrico, esquecido ligado, inflamou e deu início ao incêndio que marcaria o último dia do tradicional Colégio.

Após contido o enorme incêndio que ficou marcado na mídia brasileira, das ruínas se ergueu o Museu do Colégio do Caraça, que ainda guarda consigo, lembranças de como era tudo ali. Para a alegria dos visitantes que estavam impedidos de ir ao local por causa da Covid-19, o museu reabre as portas com direito a visita guiada para conhecer toda a história e objetos do local, com taxa de R$ 5,00 por pessoa.

De acordo com Márcio Mol, gerente-geral do Caraça, essa é uma oportunidade para que os visitantes que tanto queriam conhecer o local, possam aprender mais sobre a história, já que tantos objetos da época do colégio, ainda estão lá. “Vários artefatos utilizados na época por estudantes ficam em exposição. A grade curricular mostra um pouco da rotina dos estudantes, além disso, temos equipamentos máquinas de escrever que eram utilizadas pelos padres, várias máquinas de costura e de sapataria para produção própria de uniformes e sapatos para todos e claro, alguns móveis, como escrivaninhas e estantes que resistiram ao incêndio do ano de 1968”, comenta.

Vinis antigos – Segundo Márcio Mol, além dos objetos, como camas e estantes, o museu ainda tem bem preservado, itens, como vinis antigos, que vinham com aulas de idiomas diversos, tais como inglês, francês e latim. Com a visita guiada, ele afirma que o visitante vai viajar no tempo. “Em uma parte do museu, temos vários aparelhos de rádios e radiolas que foram utilizadas, como parte dos trabalhos educacionais com os alunos que passaram pelo local. Muitos vinis, alguns com rotação 78, que eram mais grossos e pesados, com gravações de aulas e alguns com hinos da época. Um ponto bem interessante para quem gosta de vinis, já que muitos que estão preservados no local, eram coloridos, sendo alguns azuis e vermelhos. Tenho certeza de que todos que vierem ficarão empolgados com as histórias contadas pelos monitores”, ressalta.

Com a reabertura do Museu do Colégio do Caraça, o gerente avalia que será uma chance de atrair o olhar de quem ainda não teve a chance de ir ao Caraça. “Temos a certeza que agora, com a visita guiada, as pessoas se sentirão mais confortáveis em não apenas visitar, mas em levar consigo uma bagagem enorme e cultural do que foi o colégio, os objetos que ali estão e sua importância para a história do país. Além disso, é a chance de descansar a mente da correria da cidade grande”, conclui.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!