Crédito: Rafael L. G. Motta

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais acaba de lançar o CD “Almeida Prado – Obras para piano e orquestra”, com regência do maestro Fabio Mechetti e participação da pianista brasileira Sonia Rubinsky. O CD apresenta três obras do compositor brasileiro: “Aurora” (1975), “Concerto nº 1 para piano” (1982-1983) e “Concerto Fribourgeois” (1985) e integra a série “A música do Brasil, parte do projeto Brasil em concerto”, iniciado em 2018, em parceria com o Itamaraty e o selo internacional Naxos, que visa a divulgação da música brasileira no exterior.

O disco foi gravado em maio de 2019, na Sala Minas Gerais, e é o segundo álbum da Filarmônica de Minas Gerais para o projeto. A capa do CD traz a imagem da obra “Aparelho Cinecromático SF-4”, de autoria do artista plástico brasileiro Abraham Palatnik (1928-2020), precursor da arte cinética no País, e que faleceu no último dia 9 de maio, vítima do novo coronavírus.

O CD está disponível no mercado internacional e nas principais plataformas de streaming. No Brasil, ele será distribuído pela Clássicos Editorial, que disponibiliza a venda pelo site www.lojaclassicos.com.br, ao valor de R$ 39.

No último dia 8 a Filarmônica de Minas Gerais fez o lançamento virtual do CD em seu canal no YouTube (@filarmonicamg). A orquestra exibiu um videodocumentário sobre os concertos realizados em 2019 com Sonia Rubinsky tocando duas das obras que compõem o álbum e, em seguida, transmitiu um bate-papo gravado entre o maestro Fabio Mechetti, a pianista Sonia Rubinsky, Gustavo de Sá, do Departamento Cultural do Itamaraty, e Nelson Kunze, diretor da Clássicos Editorial, que representa a Naxos e distribui os CDs do projeto Brasil em concerto no país. A transmissão continua disponível no canal do YouTube.

“É com grande alegria que lançamos o segundo volume do projeto Brasil em concerto com obras para piano e orquestra de Almeida Prado. Esta gravação não só introduzirá a obra de um dos mais talentosos compositores brasileiros, dono de uma linguagem absolutamente individual e cheia de personalidade, como também avançará ainda mais a projeção da Filarmônica de Minas Gerais pelo mundo. Em contraponto ao primeiro lançamento, com obras românticas de Alberto Nepomuceno (gravação que recebeu excelentes críticas da imprensa internacional), este CD, com a participação da pianista Sonia Rubinsky, revelará a versatilidade de nossa orquestra em tratar com autoridade repertórios dos mais variados estilos, além de celebrar e divulgar aquilo que o Brasil tem de melhor a oferecer no campo da música”, destaca o maestro Fabio Mechetti, diretor artístico e regente titular da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

Sonia Rubinsky diz que, mesmo conhecendo Almeida Prado e sua obra há muito tempo (o compositor, inclusive, esteve presente ao concerto realizado em 2008, em Belo Horizonte, quando Sonia foi solista em “Aurora” com a Filarmônica de Minas Gerais), sentiu uma enorme responsabilidade ao ser convidada pelo maestro Mechetti para gravar as três obras deste CD.

“Mesmo com o conforto em ter uma excelente orquestra, um regente maravilhoso e ótimas condições de gravação, o desafio foi grande, pois são obras muito distintas que passam por diferentes períodos composicionais de Almeida Prado – do período mais ligado à natureza e ao cosmos, em Aurora; a um virtuosismo composicional, orquestral, pianístico e performático no Concerto nº 1 e a um formalismo ultraoriginal no Concerto Fribourgeois.” Sonia completa com um agradecimento “ao nosso querido e saudoso Almeida Prado, por ter criado um mundo sonoro colorido, variado e tão profundamente emocionante”.

“Brasil em Concerto” – Nos próximos anos, a Filarmônica de Minas Gerais ainda irá gravar mais três álbuns dentro do projeto “Brasil em concerto”, com obras de Lorenzo Fernandez, Carlos Gomes e Henrique Oswald.

A série ”A música do Brasil” é parte do projeto “Brasil em concerto”, desenvolvido pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil para promover a música dos compositores brasileiros, a partir do século XVIII. Cerca de cem obras orquestrais dos séculos XIX e XX serão gravadas pela Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, pela Orquestra Filarmônica de Goiás e pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Gravações posteriores de música de câmara e vocal serão gradualmente acrescidas a esta coleção.

As obras foram selecionadas de acordo com sua importância histórica para a música brasileira e a existência de gravações. A maioria das obras gravadas para esta série nunca teve gravações disponíveis fora do Brasil; muitas outras terão suas primeiras gravações mundiais. Uma parte importante do projeto é a preparação de novas ou primeiras edições das obras a serem gravadas, muitas das quais, apesar de sua relevância, estão disponíveis apenas no manuscrito do compositor.

Esse trabalho será levado a cabo pela Academia Brasileira de Música e por musicólogos que trabalharão com as orquestras. Ao longo de cinco anos, serão gravadas cerca de 100 obras sinfônicas brasileiras em 30 CDs. A distribuição internacional será pela Naxos e, no Brasil, pelo selo Clássicos. (Da Redação)