COTAÇÃO DE 18/06/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,0680

VENDA: R$5,0690

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,0370

VENDA: R$5,2330

EURO

COMPRA: R$5,9716

VENDA: R$5,9733

OURO NY

U$1.764,31

OURO BM&F (g)

R$286,98 (g)

BOVESPA

+0,27

POUPANÇA

0,2446%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

DC Mais

Pinturas resgatam elementos da vida urbana

COMPARTILHE

Crédito: Marco Antonio Sousa Alves

Cones de trânsito, postes de luz e emaranhados de fios, elementos que, no dia a dia, passam despercebidos ao nosso olhar, ganham protagonismo nas pinturas da exposição “INsignificâncias”, de Carol Peso, artista selecionada no 4º Programa de Seleção da Piccola Galleria. Em cartaz na Casa Fiat de Cultura de hoje a 9 de maio, a mostra aborda a relação de familiaridade das pessoas com alguns objetos, ao resgatar elementos quase invisíveis da vida cosmopolita, que ganham destaque em sua obra.

Composta por 16 pinturas, a exposição virtual ficará montada no espaço da Piccola Galleria e poderá ser apreciada no site e nas redes sociais da Casa Fiat de Cultura. A abertura será realizada hoje, às 19 horas, em um bate-papo ao vivo com a artista, transmitido on-line. A participação é gratuita, com retirada de ingressos pela Sympla. Ainda na programação da mostra estão programadas visitas virtuais com mediação ao vivo, vídeo da artista e tour virtual.

PUBLICIDADE

Em “INsignificâncias”, Carol Peso apresenta os resultados de pesquisa que vem desenvolvendo a respeito da relação entre memória e espacialidade. Ao atuar quase como cronista de sua própria cidade, a artista capta uma série de imagens fotográficas, que servem de base para a composição das pinturas em tinta acrílica. “É justamente essa invisibilidade, fruto de uma excessiva familiaridade com as coisas, que me interessa captar. Entendo que nisto reside a potência dessas imagens como constituidoras de nossos suportes de memória espacial e, por causa disso, de nossa identidade como citadinos”, explica Carol.

Para que o público possa comparar e compreender a evolução das fotografias para as telas, serão disponibilizados, no site da Casa Fiat de Cultura, QR Codes que direcionam o visitante a um link com as fotos originais. Estas fotografias evidenciam a experiência da flânerie que permeia o processo criativo da artista.

O pintor e poeta suíço Paul Klee disse que “a arte não reproduz o que vemos. Ela nos faz ver”. E é nesse sentido que caminha a obra de Carol Peso: um convite a enxergar, em meio ao insignificante, uma miríade de significados. A artista destaca que, no atual cenário de pandemia, tornou-se ainda mais importante falar sobre as coisas corriqueiras. “A pandemia nos fez sentir falta de coisas extremamente cotidianas e banais, que antes pontuavam nossa rotina”, reflete.

A exposição “INsignificâncias” é uma realização da Casa Fiat de Cultura, com apoio do Ministério do Turismo, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, patrocínio da Fiat e do Banco Safra, copatrocínio da Expresso Nepomuceno, da Sada e do Banco Fidis. A mostra tem apoio institucional do Circuito Liberdade, do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha), do Governo de Minas e do Governo Federal, além do apoio cultural do Programa Amigos da Casa, da Brose do Brasil e da Brembo.

 “INsignificâncias” apresenta 16 pinturas que retratam elementos do cotidiano. Tudo começa com uma fotografia, captada em ambiente urbano, que ganha autonomia na tela. Efeitos visuais, justaposição de cores, ranhuras, raspagens na tinta, desenhos em grafite e espessantes garantem mais complexidade visual e semântica às obras, que, ao ganhar vida nas telas, passam a ter significados completamente novos.

Carol Peso esclarece como funciona a autonomia de suas pinturas: “Entrego-me ao processo sem saber como — e quando — ele vai se resolver. Depende muito da relação que as formas e as cores vão estabelecer entre si na tela. Já tive trabalhos que deixei “descansar” por mais de um ano, até poder voltar a eles com uma nova solução pictórica. E, geralmente, trabalho em mais de uma pintura ao mesmo tempo”.

Com cores intensas e objetos cotidianos, “INsignificâncias” é composta de pinturas que chamam a atenção do público. As obras “Bastidores”, “Suporte”, Camafeu I”, Camafeu II” e “Camafeu III” brincam com os fios elétricos espalhados pelas cidades. Já “Anteparo” e “Cercanias” garantem outras perspectivas aos portões e grades das casas. Assim, a mostra se constitui como um convite a deixarmos nosso olhar mais atento e poético.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!