COTAÇÃO DE 19/04/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5500

VENDA: R$5,5510

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5400

VENDA: R$5,7130

EURO

COMPRA: R$6,7043

VENDA: R$6,7067

OURO NY

U$1.771,25

OURO BM&F (g)

R$317,44 (g)

BOVESPA

317,44

POUPANÇA

0,1590%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

DC Mais

Secult amplia o Circuito Liberdade

COMPARTILHE

Crédito: IEPHA Lucia Sebe
Crédito: IEPHA Lucia Sebe

Museu dos Militares Mineiros, Sala Minas Gerais, Câmera Sete, Mineiraria, Palácio das Artes e Casa Funarte Liberdade passam a integrar o novo Circuito Liberdade, expandido para receber os equipamentos culturais inseridos na área definida pelo projeto original de 1895 de Belo Horizonte, delimitada pela avenida do Contorno.

E o que não faltam são espaços para fazerem parte desse complexo cultural, como o Mercado Central, Sesc Palladium e Museu de Artes e Ofícios, que muito representam a cultura e o turismo mineiro e que já estão se preparando para este novo momento.

PUBLICIDADE

A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) publicou, na edição de 24 de fevereiro do Diário Oficial do Estado, a Resolução Secult nº 35. O texto detalha as diretrizes para que equipamentos culturais da cidade sejam qualificados para compor o circuito, além de pontuar sobre a instituição do Roteiro Turístico “Circuito Liberdade”, em Belo Horizonte.

De acordo com o secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, o ingresso dos novos espaços no Circuito Liberdade fomentará a cultura e o turismo, contribuindo para promover desenvolvimento socioeconômico para os mineiros.

“O novo formato do complexo cultural intensifica a transversalidade entre a cultura e o turismo, abrindo espaço para novas ações e parcerias entre poder público e iniciativa privada. O Circuito Liberdade é um dos principais produtos turísticos de Minas e ganha ainda mais relevância a partir de agora”, afirma.

Para a gestora do Museu de Artes e Ofícios, Karla Bittar, Minas Gerais e Belo Horizonte só têm a ganhar com a nova configuração do Circuito Liberdade.

“Um dos principais pontos é a integração dos equipamentos culturais e artísticos, ampliando o roteiro e agregando mais valor para o visitante. Com a inserção do Sesi – Museu de Artes e Ofícios no Circuito Liberdade, nós esperamos ampliar a visitação, entendendo que, a partir do momento que um local compõe o circuito, as ações de divulgação funcionam de maneira muito mais assertiva. E para receber esse visitante, esse turista, nós estamos preparando o museu com um olhar voltado à experiência”, argumenta.

O Museu de Artes e Ofícios, que tem um acervo de mais de 2 mil peças representativas da história do trabalho no Brasil, está localizado na Praça da Estação e dá início a uma das rotas que leva à Praça da Liberdade, saindo da estação Ferroviária Central e passando pela histórica rua da Bahia.

Outro espaço que em breve oficialmente fará parte do Circuito Liberdade é o Mercado Central, ponto de encontro de mineiros e turistas que desejam conhecer e celebrar o melhor da cozinha mineira. Segundo o superintendente Luiz Carlos Braga, é extremamente satisfatório o espaço gastronômico participar do Circuito Liberdade.

“O Mercado Central, enquanto grande atrativo turístico da capital mineira, fazendo parte agora do Circuito, será ainda mais divulgado para o Brasil e o mundo. O mercado tem uma estrutura voltada ao turista, inclusive com um posto de atendimento ao visitante. Lá, as pessoas podem conhecer mais sobre a cultura do mercado, da nossa cozinha e de Minas Gerais, ainda mais agora com o lançamento do Plano da Cozinha Mineira e as ações para torná-la patrimônio imaterial do Estado”, explica.

Adesão – Entre as especificidades para a adesão de novos equipamentos ao complexo cultural, estão a ampliação e a diversificação da programação cultural e do acesso à cultura, a articulação de projetos e ações culturais em rede e a promoção turística do Circuito Liberdade com foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda.

Para integrar o Circuito Liberdade, os equipamentos culturais também devem se atentar às especificidades que promovam a transversalidade entre a cultura e o turismo.

Além de oferecer programações democráticas e que garantam o acesso à arte e à cultura, os requerentes devem apostar em atrações que promovam a aproximação entre as agências e operadoras de turismo receptivo habilitadas no Programa “Minas Recebe”.

A Resolução publicada também especifica todo o processo de requerimento para que o espaço passe a integrar o Circuito Liberdade em Belo Horizonte. A adesão ao Circuito Liberdade ou a integração ao Roteiro Turístico Circuito Liberdade não ensejarão repasse financeiro do Estado.

A superintendente de Bibliotecas, Museus, Arquivo Público e Equipamentos Culturais da Secult, Milena Pedrosa, reforça a importância da resolução para a concretização desse novo formato do Circuito Liberdade.

“O documento direciona os interessados em fazer parte do complexo cultural e também do Roteiro Turístico Circuito Liberdade, reafirmando sua importância como aglutinador de espaços de democratização do acesso à arte e produto turístico de destaque no Estado”, destaca. (Agência Minas)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!