Centros históricos receberão cabeamento subterrâneo
Crédito: Paulo Lacerda

Com a entrada de municípios mineiros nas ondas amarela e verde do Plano Minas Consciente, museus, galerias, salas de espetáculo e teatros geridos pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) e a ela vinculados já têm data para a reabertura de suas portas ao público: 3 de novembro.

Um rígido protocolo de segurança está sendo implantando para garantir o retorno seguro das atividades presenciais, que estavam suspensas há cerca de sete meses. As medidas de saúde e segurança para a reabertura estão sendo estabelecidas de acordo com as características específicas de cada espaço. Os equipamentos sob gestão de parceiros, como alguns espaços do Circuito Liberdade, em Belo Horizonte, por exemplo, têm autonomia sobre o retorno do atendimento presencial e isso está sendo avaliado caso a caso.

No interior, os museus sob administração estadual são Casa Alphonsus de Guimaraens (em Mariana), Casa Guignard (em Ouro Preto) e Casa Guimarães Rosa (em Cordisburgo). A reabertura de cada um deles depende do avanço das ondas do programa Minas Consciente e também da liberação das prefeituras, mas, por enquanto, está prevista para o dia 3 de novembro nas três cidades. A Biblioteca Estadual e o Arquivo Público Mineiro ainda não estão autorizados a reabrir por parte de decreto municipal.

“Estamos comemorando a volta das exposições, espetáculos e museus do Sistema Estadual de Cultura. Essa reabertura tem sido bastante aguardada pelo público e por toda equipe. Importante ressaltar que tudo está sendo conduzido com segurança e respeito aos protocolos do Minas Consciente para que o público possa vivenciar novas e inesquecíveis experiências culturais com total segurança”, aponta o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira.

O secretário destaca também que, durante os meses de paralisação das atrações presenciais, foram feitas adequações na programação dos espaços culturais sob gestão do Estado, para garantir a oferta de atividades virtuais e diversificadas para o público.

Protocolos – Além da abertura com até 50% da capacidade do atrativo, os espaços da Secult irão estabelecer a ocupação das áreas com distanciamento de 2 metros entre as pessoas. Haverá avaliação a cada 21 dias para ampliação do limite de participantes das atividades.

Os protocolos possuem especificidades dependendo do tipo de local, assim, para a ocupação em teatros e espaços de espetáculos haverá marcação de assentos; já para museus haverá limitação de um visitante a cada 5metros quadrados, agendamento prévio, além da habitual obrigatoriedade do uso de máscara e da utilização de álcool em gel.

Como forma de alcançar um público mais amplo, as atividades e ações virtuais devem continuar nestes espaços, ou seja, haverá uma programação híbrida, parte presencial, parte on-line.

Palácio das Artes – Uma exposição inédita e gratuita marca a reabertura do Palácio das Artes, da Fundação Clóvis Salgado (FCS), vinculada à Secult, também em 3 de novembro. A Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard recebe obras dos cinco artistas contemplados com o Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça. A entrada do público seguirá as diretrizes do protocolo Minas Consciente, com horário reduzido, distanciamento social, higienização e demais medidas sanitárias.

A exposição faz parta da 7ª edição da maior premiação das artes visuais do Brasil, uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), do Serviço Social da Indústria (Sesi) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). A seleção de obras à disposição do público mineiro contará ainda com trabalhos da artista Anna Bella Geiger, grande expoente da primeira geração de artistas conceituais latino-americanos e uma das artistas mais importantes do Brasil no século 20, que é homenageada nesta edição do Prêmio.

Todos os ambientes do Palácio das Artes serão higienizados diariamente antes da abertura ao público e serão disponibilizados tapetes para a limpeza de sapatos, assim como álcool em gel 70% para desinfecção das mãos. Além disso, a entrada de sacolas, mochilas e afins não será permitida para diminuir a contaminação dos espaços.

Serão permitidos até 12 visitantes por vez na Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard, que deverão seguir recomendações como evitar conversar, manusear o telefone celular, entre outras.

Durante a primeira fase de retomada, a visitação de escolas e atividades educativas serão suspensas e só retornarão quando houver sinalização de estabilização da pandemia pelo Estado de Minas Gerais.

Confira programação e horários de atendimento em secult.mg.gov.br