Crédito: Edgard Su/Reuters

Rio de Janeiro – A Vale fechou a compra de 5 milhões de kits de testes rápidos para a verificação de infecção pela Covid-19. Segundo a mineradora, a doação é uma forma de ajudar o governo brasileiro no combate à disseminação da doença no País. “Os testes, que permitem ter um resultado em apenas 15 minutos, foram comprados na China e serão entregues ao governo brasileiro”, informou.

A primeira remessa, de 1 milhão de kits, deve ser entregue pelo fornecedor à Vale, na China, na próxima sexta-feira e pode chegar ao Brasil no início da semana seguinte. A entrega dos 4 milhões restantes está prevista para até meados de abril. De acordo com a companhia, a quantidade comprada pela Vale representa metade das unidades que o Ministério da Saúde avalia necessitar neste momento.

O diretor-presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, destacou que a decisão da empresa é uma ajuda à sociedade brasileira no momento em que o País se une pela saúde e segurança das pessoas. “Estamos lançando mão da nossa rede de logística na Ásia para trazer ao Brasil insumos que poderão fazer a diferença na vida das pessoas”, ressaltou.

Em outra frente, a Vale está comprando de fornecedores chineses equipamentos de proteção individual, como óculos, luvas e máscaras, para médicos e enfermeiros. “O material também será encaminhado ao governo brasileiro. A Vale e a China têm uma parceria de longo prazo, desenvolvida ao longo de mais de 40 anos”, afirmou.

Hemominas – Atenta à preocupação de doadores e da população em geral com a pandemia de Covid-19, a Fundação Hemominas vem implementando vários procedimentos para tornar mais seguros os processos relacionados à doação de sangue e assegurar, ao doador, um ambiente controlado para que possa exercer sua solidariedade com mais tranquilidade.

Nos últimos meses, todas as unidades da Hemominas estão enfrentando queda significativa nos estoques de sangue devido a diversos fatores, como as fortes chuvas e feriados prolongados. Com o impacto do coronavírus, o quadro se agravou.

Agora, mais do que nunca, é preciso doar. Caso contrário, pacientes hematológicos atendidos pela Hemominas em todo o estado, assim como todos aqueles que estão nos hospitais na dependência de transfusões, ficam duplamente fragilizados: pelo vírus em si e pela falta de sangue e hemocomponentes necessários à sua sobrevivência.

Com relação ao doador e pacientes, entre as medidas de higienização e prevenção, a fundação informa que é parte de seu protocolo a obrigatoriedade do uso do álcool 70% – gel ou líquido – nas mãos para qualquer doador ou pessoa que entre nas unidades.

Na rotina de funcionamento, só serão aceitas caravanas de doadores de, no máximo, dez pessoas. Além disso, as áreas de espera das unidades e as salas de coleta do sangue foram

Outra medida adotada é de que todos os pacientes atendidos nos ambulatórios hematológicos deverão receber máscara cirúrgica para uso durante a permanência nas dependências da fundação.

Também os funcionários – que devem cumprir as normas de proteção estabelecidas pelo Ministério da Saúde, em especial a lavagem das mãos – deverão utilizar máscara cirúrgica e avental descartável para a assistência de pacientes com sintomas gripais/respiratórios.

Após cada atendimento, serão reforçadas, ainda, limpeza e desinfecção da unidade e das cadeiras onde os pacientes permaneceram.

Internamente, outras normas foram estabelecidas: aumentar a frequência da limpeza e desinfecção dos locais com maior circulação, como bancada de portaria, bancada de cadastro, maçanetas e corrimãos; ampliar a frequência da limpeza e desinfecção de banheiros; lacrar o bico dos bebedouros, mantendo apenas a fonte que não implica contato com a boca do usuário; cartazes em todos os banheiros com orientações de como lavar as mãos. Nos setores de cadastro, onde não há vidro de separação, deverá ser mantida a distância mínima de 1 metro entre o funcionário e o doador/paciente.

A Fundação Hemominas reforça que é imprescindível que as pessoas saudáveis compareçam a qualquer das unidades da Hemominas, o quanto antes, para doarem e, assim contribuírem para manter os estoques de sangue em níveis seguros. Os doadores voluntários também podem agendar a doação: on-line ou pelo MGapp. (ABr/Agência Minas)