Crédito: Guto Cortes

Rogério Faria Tavares*

Lançado pouco depois do começo da quarentena, o programa ‘AML em casa’ tem oferecido aos internautas, toda semana, uma palestra inédita e exclusiva sobre algum tema relacionado à cultura, em especial às letras.

O público tem acolhido a iniciativa com entusiasmo e o canal da Academia Mineira de Letras no Youtube ultrapassou, em tempo recorde, a marca dos quinhentos inscritos, o que comprova que conteúdo de qualidade encontra sempre uma recepção calorosa.

Vale ressaltar que também continua disponível, na rede, o rico acervo de mais de duzentos vídeos contendo as conferências realizadas pela entidade nos últimos anos. Quem não quer se informar e ampliar os próprios conhecimentos sobre o mundo em que vive?

Gravei a primeira sessão da série com bastante animação, na expectativa de manter vivas e acesas as atividades da Academia, impedidas, pela pandemia, de se realizarem presencialmente.

Optei por abordar o legado romanesco da escritora carioca Elvira Vigna, tema de minha tese de Doutorado. O foco foi a coleção dos dez romances assinados pela autora, com ênfase nas relevantes questões de que ela trata em sua ficção, com coragem e pioneirismo.

Logo em seguida, o acadêmico Caio Boschi dissertou sobre ‘Religiosidade e Sociabilidades nas Minas Setecentistas’, partilhando, nas redes sociais, sua sólida e importante trajetória como um dos mais destacados pesquisadores brasileiros do assunto, fundamental para a compreensão de nossa história.

O terceiro palestrante foi o acadêmico Luís Giffoni, que analisou os benefícios da atividade da leitura para o cérebro humano. Ganhador de vários prêmios nacionais pela sua excelente produção literária, Giffoni é um eficiente e incansável divulgador da causa da literatura, mais do que nunca necessária ao Brasil de hoje, tão sofrido pelos ataques da ignorância, da truculência e da barbárie.

A quarta aula foi dada pela professora Ana Elisa Ribeiro, que focalizou a figura do revisor de textos num belo conto de Maria Valéria Rezende, responsável por livros inesquecíveis, de que são exemplos “Quarenta Dias”, lançado em 2014, e “Carta à Rainha Louca”, de 2019.

O quinto vídeo postado pela Academia entrou no ar ontem, dia 4 de junho, e consistiu em uma delicada leitura de poemas da lavra da acadêmica Yeda Prates Bernis. O recital ficou a cargo de Flávia Queiroz, Ana Elisa Ribeiro e Luciana Pimenta, as três igualmente poetas de primeira linha.

Na semana que vem, o competente Ivan Capdeville Jr. falará sobre como a retórica pode ajudar a escrever melhor. Depois, o acadêmico Wander Melo Miranda lecionará sobre a Belo Horizonte dos anos vinte, dando ênfase às figuras de Carlos Drummond de Andrade, Pedro Nava e Mário de Andrade.

Nas próximas semanas, também contaremos com uma palestra do acadêmico Pedro Rogério Moreira sobre o percurso intelectual de seu pai, Vivaldi Moreira, um dos mais atuantes líderes culturais que Minas já teve. A presidente da Câmara Mineira do Livro, Gláucia Gonçalves, será outra a marcar presença na série de vídeo aulas, falando sobre o mercado editorial em Minas Gerais.

E assim, adaptada às tecnologias contemporâneas, a instituição mais que centenária seguirá em frente, altiva e vigorosa, driblando as vicissitudes do tempo presente, afirmando a sua força como é possível agora: na internet. Se você gosta de cultura, de livros, de memória e de história, una-se a nós. Será um prazer recebê-lo.

*Jornalista e presidente da Academia Mineira de Letras