COTAÇÃO DE 19/01/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5600

VENDA: R$5,5600

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5770

VENDA: R$5,7130

EURO

COMPRA: R$6,2610

VENDA: R$6,2639

OURO NY

U$1.814,31

OURO BM&F (g)

R$322,84 (g)

BOVESPA

+0,28

POUPANÇA

0,6310%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Direto da Redação

Contribuições do voluntariado em Minas Gerais são marcadas pela solidariedade

Ações e iniciativas voluntárias mostram a sua relevância para a superação da pobreza no estado mineiro

COMPARTILHE

" "
TETO MG 6
Crédito: /TETO

Como podemos contribuir para o desenvolvimento sustentável de Minas Gerais? Dia 5 de dezembro é marcado anualmente como o Dia Internacional do Voluntariado e em Belo Horizonte e na Região Metropolitana (RMBH) a celebração vem acontecendo cotidianamente por meio de atividades baseadas na colaboração.

Em seu quarto ano de atuação em Minas Gerais, a TETO em Minas já realizou 12 eventos de construções massivas, que resultaram em 138 moradias emergenciais, desenvolveu 30 projetos de melhorias de infraestrutura e mobilizou mais de 1.800 voluntários e voluntárias em ações que aconteceram em 8 comunidades.

PUBLICIDADE




O número de pessoas em situação de pobreza aumentou nos últimos 2 anos. De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), cerca de 17,7 milhões de pessoas voltaram à pobreza entre agosto de 2020 e fevereiro de 2021, passando de 9,5 milhões em agosto, para 27,2 milhões em fevereiro.

Sem o auxílio emergencial, o IBGE estima ainda que cerca de 10,3 milhões de pessoas estarão em situação de insegurança alimentar grave em breve.

Segundo dados do Relatório de Atividades 2020 da TETO BRASIL, o número de famílias sem casa em 2020 era superior a 6 milhões, com 26 milhões de pessoas vivendo em moradias construídas com materiais não duráveis, sem espaço e/ou sem banheiro.

Para além da moradia (ou da falta dela), e da segurança alimentar, existem outros fatores que também estão relacionados à falta de garantia de direitos básicos à população, como acesso à água potável, rede de esgoto e coleta de lixo.




Mesmo diante de um cenário tão crítico, as comunidades encontram na solidariedade, e no apoio de Organizações Não Governamentais, as razões para buscar a superação da pobreza e a construção de uma sociedade justa.

Em entrevistas com famílias moradoras de comunidades para uma pesquisa da FGV-CEPESP sobre as dificuldades e superações da pandemia nas favelas, as ONGs foram indicadas como responsáveis pelo apoio humanitário de 56% das pessoas entrevistadas. Quando questionadas sobre quem apoia mais, 78% indicam as ONGs.

Cenário mineiro

Segundo dados do Mutirão de Visitas (MV) da TETO em Minas, coletados com base em 31 comunidades mineiras, 66,67% das pessoas entrevistadas vivem em ruas de terra, apenas 20% destas têm ligação regular de água na rede pública e 16,67% vivem em locais com iluminação nas ruas instalada pelo poder público.

Apesar destes dados, 70% das comunidades possuem lideranças comunitárias, evidenciando a importância da organização dos moradores e moradoras em busca de condições mais justas de moradia, assim como na formação de redes de solidariedade para apoio das pessoas em maior condição de vulnerabilidade.

Estes são dados necessários que estimulam a atuação de organizações como a TETO junto ao acompanhamento das demandas de moradoras e moradores em regiões vulneráveis, que atua com o objetivo de implementar soluções de moradia e habitat, reduzindo a urgência habitacional e de infraestrutura nas favelas mais precárias, e com a missão principal de motivar o desenvolvimento comunitário e o trabalho em conjunto entre pessoas moradoras de comunidades precárias e jovens voluntários e voluntárias.

São movimentações constantes junto às comunidades e o olhar próximo aos desafios de regiões vulneráveis que fortalecem o trabalho feito em conjunto com o voluntariado, empresas parceiras, doações, seguidoras e seguidores e assim vão contribuindo para uma sociedade mais justa e igualitária na capital mineira e municípios próximos.

O impacto da solidariedade de pessoas voluntárias para a superação da pobreza



Todos os anos, a TETO Brasil publica um relatório com o detalhamento das atividades realizadas. Segundo o Relatório de Atividades de 2020, neste ano a organização mobilizou 70.814 voluntários de dentro e fora das comunidades onde atua pelo Brasil.

Além disso, foram 125 projetos comunitários concluídos, 4.433 moradias de emergência e 56.980 famílias impactadas com a doação de kits de alimentação em todo país.

Já em Minas Gerais, foram 1.098 kits distribuídos e 6 comunidades impactadas através do desenvolvimento dos seguintes projetos:

18 moradias de emergência construídas;
01 horta comunitária;
01 canalização de córrego;
01 banheiro com biodigestor e
20 projetos de captação de água da chuva

Como posso contribuir?

Atualmente a TETO em Minas está promovendo campanhas de Construção em Famílias, que fazem parte do Programa de Moradias de Emergência da TETO, funcionando como uma oportunidade de pessoas engajadas conseguirem viabilizar o financiamento e a construção de moradias de emergência junto a famílias das favelas mais precárias do Brasil. Ela funciona da seguinte forma:

Cada uma das campanhas de Construção em Famílias leva o nome do voluntário ou voluntária responsável por arrecadar a quantia necessária para a construção de uma moradia de emergência.

As campanhas terminam no dia 16 de dezembro de 2021 e, com a sua contribuição, 6 moradias poderão ser construídas já no primeiro trimestre de 2022!

Contribua! Clique no link, conheça mais sobre esse projeto e faça a sua contribuição para uma sociedade mais justa e sem pobreza.

https://linktr.ee/oescritoriomg

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!