COTAÇÃO DE 19/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5930

VENDA: R$5,5940

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,7770

EURO

COMPRA: R$6,4569

VENDA: R$6,4588

OURO NY

U$1.768,97

OURO BM&F (g)

R$315,96 (g)

BOVESPA

-3,28

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

MEC libera R$ 25,52 mi para universidades e institutos federais de MG

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação

O Ministério da Educação (MEC) repassou, no início da semana, recursos na ordem de R$ 25,52 milhões às instituições federais de ensino vinculadas à pasta em Minas Gerais. De acordo com o ministério, o valor relativo ao mês de outubro será aplicado na manutenção, custeio e pagamento de assistência estudantil, entre outros serviços. O montante corresponde a 13,39% do total de R$ 190,54 milhões distribuídos para todo o País. Ao todo, 108 instituições receberam recursos, sendo 17 mineiras, fechando 15,74%.

As 17 instituições no Estado são: Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e Universidade Federal de Viçosa (UFV), na Zona da Mata; Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG) e Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG), na Capital; Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IF Triângulo Mineiro) e Universidade Federal de Uberlândia (UFU), no Triângulo; Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), no Vale do Jequitinhonha; Universidade Federal de Alfenas (Unifal), Universidade Federal de Itajubá (Unfei), Instituto Federal do Sul de Minas Gerais (IF Sul de Minas Gerais) e Universidade Federal de Lavras (Ufla), no Sul de Minas; Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), na região Central; Universidade Federal de São João Del Rei (UFJS), no Campo das Vertentes; Instituto Federal do Norte de Minas (IFNMG), no Norte de Minas; Instituto Federal do Sudoeste de Minas Gerais (IF Sudoeste de Minas Gerais), no Sudoeste de Minas.

PUBLICIDADE

Entre os institutos e centros de educação tecnológica, o IFMG recebeu o maior repasse mensal, com R$ 1.686.203 e o segundo maior no ano até aqui, com R$ 38.598.303. Posições invertidas com o Cefet-MG, que ficou em segundo lugar no mês, com R$ 1.071.053 e primeiro lugar no ano, com R$ 43.228.703.

De acordo com o pró-reitor de administração do IFMG, Leandro Antônio da Conceição, os repasses estão dentro da previsão orçamentária feita no início do ano, porém isso não quer dizer que o Instituto tenha uma vida financeira tranquila. O IFMG tem cerca de três mil alunos e 18 campi espalhados pelo Estado.

“O valor está dentro de estipulado no orçamento anual, mas o montante cobre apenas o custeio, que são despesas fixas. O capital, que é o que temos para investimento, que são obras e compras de equipamentos, é mínimo. Estamos trabalhando com valores de 2014/2015, ao passo que todos os custos subiram e o número de alunos aumentou”, explica Conceição.

No mesmo tom sombrio, o diretor de Planejamento e Gestão do Cefet-MG, Gray Farias Moita, não espera um início de ano fácil em 2019. Nos últimos cinco anos os recursos para investimentos enviados pelo Ministério caíram de R$ 30 milhões para R$ 2,5 milhões. Para piorar o quadro, os recursos captados junto à iniciativa privada além de escassos são de difícil utilização.

“Hoje, tenho uma demanda de R$ 7 milhões para investimento e apenas R$ 1,3 milhão liberado. Temos alguns outros recursos, chamados descentralizados, parados no MEC, sem previsão de chegada. Tudo isso impede que obras sejam tocadas e equipamentos comprados. Mesmo que esse dinheiro saísse hoje, seria difícil, já que novas compras devem seguir processos de licitação, o que exige prazos mínimos estipulados por lei. De outro lado, os mecanismos de captação de recursos junto à iniciativa privada praticamente não ajudam. Falta incentivo para que as empresas invistam e quando alguma quer investir eu não consigo acomodar o recurso no orçamento e assim o valor acaba descontado no total enviado pelo MEC”, lamenta Moita.

Entre as universidades, a UFU foi a com maior repasse em outubro, com o total de R$ 5.034.77. Na soma do ano, está em segundo lugar, com R$ 99.744.467, atrás da UFMG, que recebeu – até agora – R$ 154.021.557.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!