Segundo Liandra Boschiero, em Belo Horizonte a operação começa com 100 veículos - LiandraBoschiero/Divulgação

Para possibilitar mais oportunidades de trabalho e suprir a demanda por mobilidade, a PPCar, locadora de veículos para motoristas de aplicativos, entrou no mercado em 2016 com uma frota de 200 veículos. Em 2017, já eram 600 carros e um faturamento de R$ 6,9 milhões. Hoje, com cerca de 1.500 assinaturas, a empresa deve fechar o ano com uma receita de R$ 30 milhões, sendo que 30% deste montante já foi atingido no primeiro semestre. E Belo Horizonte é a próxima cidade a receber a operação, já na segunda quinzena de novembro.

O crescimento em escala se deve também à expansão da operação. A startup já atua em São Paulo, Santos, Rio de Janeiro, Porto Alegre e, fora do País, em Lisboa e Cidade do México. Além de Belo Horizonte, também vão entrar na área de abrangência Curitiba e Brasília no próximo mês. Em seguida, a expansão segue nas cidades de Caxias do Sul, Campinas e Salvador.

Com base operacional em São Paulo, a empresa arregimenta motoristas por meio de anúncios, cadastro dos interessados, parcerias com os próprios aplicativos de transporte e um sistema de marketing multinível. A forma facilitada de se alugar um veículo, já dentro dos padrões exigidos pelos aplicativos, também atrai os motoristas que estão em busca de trabalho.

“Belo Horizonte, por exemplo, tem muita demanda por estas corridas em aplicativo e muito desemprego, então, é uma forma de ajudar também na economia. Este é um dos critérios para a escolha das cidades onde vamos atuar, já temos fila de espera de interessados em utilizar o serviço em outras localidades, por exemplo”, explica o diretor de Tecnologia da empresa, Ricardo Vilela.

O preenchimento do formulário, o contato, o envio de documentos, o agendamento para se buscar o veículo, tudo é feito de forma remota. A empresa também facilita o cadastro do motorista nas próprias plataformas de mobilidade.

Em Belo Horizonte, a operação começa com 100 veículos, em um ponto de locação instalado na Pampulha. “A localização do ponto de retirada de veículos também foi estratégica, pois sempre buscamos por locais de fácil acesso para os motoristas”, conta a Country Manager da PPCar no Brasil, Liandra Boschiero. Após consolidar a operação na cidade, e de acordo com a demanda, há ainda a possibilidade de ampliar a frota ou instalar outros pontos de locação.

Os veículos disponibilizados para locação são escolhidos para atender os padrões de trânsito de cada cidade e também os requisitos dos apps. “A maior parte de nossa frota é sublocada e uma parte é própria. Disponibilizamos apenas os carros que são a preferência para trabalhar com app. Por exemplo, em nossa frota os carros são 1.0, modelo sedan e nenhum é vermelho. Em São Paulo, onde temos rodízio de veículos por placa, nenhum dos nossos carros ali tem placa com final 9 ou 0, justamente por sexta-feira ser o melhor dia para trabalhar com app. Outro exemplo: no Rio, nossos veículos têm GNV por causa do alto preço do combustível”, completa Boschiero.

Como funciona – Para alugar um veículo para trabalhar como motorista de aplicativo, o interessado desembolsa a partir de R$ 459 por semana. O aluguel é facilitado e não envolve consulta ao Serasa e SPC, por exemplo, e também não requer cartão de crédito. Em caso de roubo ou acidente, a caução é de apenas R$ 500.

O modelo de negócios também facilita a negociação entre motoristas e a PPCar, contribuindo para que a taxa de inadimplência seja inferior a 1%. Esta é também a porcentagem que representa os custos mensais da empresa com despesas de roubos de veículos, já que ela adota um processo de recuperação de veículo que conta com o uso de um software de reconhecimento facial.

Expansão internacional – Com uma projeção de faturamento já ousada pra este ano, a expectativa é ainda maior para os anos seguintes. A empresa pretende movimentar R$ 730,6 milhões até 2023. O crescimento se alinha ao plano de expansão que prevê ainda a ampliação em mercados externos. Para o ano que vem, a ideia é dar início a operações na Argentina, Chile, Panamá, República Dominicana, Peru e Equador. Já para os próximos anos a marca pretende expandir na Europa.