Crédito: SME/Divulgação

Na SME, há uma tradição que se renova há 89 anos: a troca da diretoria da entidade de três em três anos. O calendário prevê que o registro das chapas ocorra até 3 de julho próximo, com a votação acontecendo um mês depois, em 3 de agosto.

A SME é a mais antiga instituição que atua em defesa dos engenheiros e da engenharia, e, mais recentemente, incorporou aos seus princípios a inovação como parte do conceito de desenvolvimento econômico.

Esse rodízio de pessoas à frente da direção da entidade é importante, frisa o presidente da SME, Ronaldo Gusmão, para que sua representatividade seja mantida e aperfeiçoada.

“Uma entidade sem esta alternância não prima pela democracia interna. E é uma séria candidata à extinção”, afirma Gusmão.

Para ele, a alternância forma novas lideranças e fortalecendo a entidade, que ganha mais representatividade para defender os engenheiros, arquitetos, agrônomos e a engenharia como pilares do desenvolvimento.