Projeto vai estudar relação entre mobilidade e pandemia | Crédito: Divulgação/PBH

Projeto desenvolvido por professores do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) e do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação em Pesquisa de Engenharia (Coppe), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), foi selecionado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) para integrar o programa que estudará a mobilidade urbana durante a pandemia na América Latina e no Caribe.

O projeto da UFRJ e do Cefet-MG será coordenado pelo engenheiro e pesquisador da universidade fluminense Rômulo Orrico e vai usar não só dados sobre mobilidade que serão disponibilizados em uma plataforma criada pelo Pnud e pela base de dados americano Grandata, mas também dados georreferenciados disponíveis no Brasil. A plataforma visa facilitar a análise dos movimentos da população durante a pandemia.

Orrico considera que a iniciativa do Pnud demonstra que é importante estudar o tema da mobilidade e sua eventual ligação com a pandemia. Disse que se a pesquisa chegar à conclusão de que o transporte público não infecta ninguém, será muito bom. Advertiu, entretanto, que a mobilidade trouxe à tona essa relação com a doença. O estudo pode, então, comprovar que o transporte público contribuiu para infectar as pessoas, ou ainda que não foi possível encontrar uma solução. “Em ciência, tudo é possível”, observou Orrico. (Agência Brasil)