O aquecimento do mercado estimula o melhoramento genético de bovinos | Crédito: Luiz Oliver

O mercado aquecido na pecuária de leite e de corte tem estimulado os investimentos em genética. Para atender a demanda crescente do mercado, a Alta Genetics do Brasil, empresa de melhoramento genético de bovinos, está investindo R$ 6 milhões na unidade instalada em Uberaba, na região do Triângulo Mineiro. Com o aporte, haverá aumento na capacidade de alojamento dos animais, nas estruturas de estocagem e na distribuição da empresa.

De acordo com o diretor da Alta Genetics no Brasil, Heverardo Carvalho, as obras de ampliação já começaram e a estimativa é concluir os investimentos até junho. Na primeira etapa, será ampliada a capacidade de alojamento de touros em coleta dos atuais 320, para 392 animais. A meta final é chegar em 464 em 2021.

Também serão ampliados os estoques da empresa em quase 150%, passando de 360 metros quadrados para 900 metros quadrados na área de estocagem de sêmen. Com os R$ 6 milhões, serão ampliados ainda os piquetes, as baias, e está sendo construída a quarta área de coleta para 72 animais. A área de coleta inclui ainda espaço para recepção, vestiário de funcionário e área administrativa.

Ainda conforme Carvalho, o investimento na ampliação da unidade se tornou necessário em função da demanda crescente. Ele explica que, nos últimos três anos, a Alta cresceu 54% na venda de sêmen. Para 2020, a expectativa é de avançar 18%.

“O crescimento nos obrigou a investir na ampliação tanto do lugar para abrigar os touros quanto na área de logística. Para se ter uma ideia, no ano passado, vendemos 6 milhões de doses, gerando uma movimentação de 12 milhões de doses. Nosso objetivo este ano é vender 7 milhões de doses, por isso, foi necessário expandir para continuar atendendo a demanda crescente”, explicou Carvalho.

O mercado de bovinos está passando por um momento positivo tanto no âmbito interno como externo. Carvalho destaca que o consumidor interno está exigindo um produto de melhor qualidade, seja leite ou carne, por isso, é preciso ter animais de melhor qualidade, o que gera uma produção diferenciada.

Outro fator que vem contribuindo para a procura maior por material genético é a demanda crescente por proteína bovina, principalmente, após os casos de Peste Suína Africana (PSA), que dizimou boa parte do rebanho chinês, fazendo com que o país asiático ampliasse as compras internacionais de carne.

“Os mercado interno e externo estão muito bons para a pecuária. A demanda por qualidade da carne e do leite faz com que o produtor invista mais, já que ele é recompensado e melhor remunerado ao produzir o que o mercado quer. Por isso, ele precisa usar a tecnologia. São necessários manejo, alimentação e cuidados de boa qualidade, porém, se o animal não tiver uma boa genética, o produtor não terá o resultado esperado. A genética é imprescindível para uma resposta melhor. Com a melhoria genética do rebanho é possível produzir mais e melhor. Sem isso, o produtor perde a competitividade e pode sair do mercado”, afirmou.

Acompanhamento personalizado – Outro ponto que vem estimulando os negócios da empresa são os serviços de acompanhamento dos clientes. Carvalho explica que a empresa possui pessoal capacitado para ajudar o criador a produzir mais e melhor.

“Temos uma série de planos genéticos. Por exemplo, nós vamos à fazenda e identificamos junto ao criador o ponto no qual ele está e aonde ele quer chegar. E aí, vamos indicar a melhor genética para alcançar o objetivo. Temos softwares de gestão, de produção e de criação de bezerros que auxiliam o bom trabalho do criador. Não vendemos genética simplesmente; desenvolvemos um trabalho de acompanhamento para gerar o melhor resultado possível. É nosso diferencial, e, isso, faz com que tenhamos 36% do mercado brasileiro, que conta com as melhores empresas de genética do mundo”.