Crédito: Divulgação

O Banco Semear, com sede em Belo Horizonte, pretende ampliar em 25% a atuação no varejo. A estimativa é conquistar cerca de 500 novos pontos de atendimento no Brasil.

Os trabalhos da instituição financeira para expansão estão focados no Sul e no Nordeste do País. Minas Gerais é o principal mercado do Banco Semear, concentrando 25% dos postos de atendimento.

De acordo com a superintendente do Banco Semear, Mônia Alves de Souza, a instituição se consolidou no atendimento ao varejista, financiando as operações para que os clientes possam parcelar as compras em até 24 vezes. O foco principal é o mercado varejista de móveis e eletrodomésticos.

“Nós financiamos a operação do varejista, para que o cliente possa comprar parcelado. Isso é muito importante porque facilitamos a compra do cliente e damos a ele condições de adquirir bens de maior valor, como móveis e eletrodomésticos, com as parcelas cabendo no orçamento. Nosso foco são as classes C, D e E, principalmente a E, então sabemos que esse perfil de cliente tem necessidade de fôlego financeiro. E o banco possibilita isso tanto no financiamento de mercadorias como em empréstimos pessoal”.

A demanda pelos serviços do Semear está em crescimento, principalmente após a entidade concentrar os trabalhos voltados para a classe E, o que tem atraído um maior número de varejistas.

“A demanda maior vem, principalmente, dos varejistas do interior, que ainda trabalham com o financiamento por boletos. Nos grandes centros, o que predomina são as vendas por cartão. Ainda é muito forte o uso no interior, em algumas localidades, 90% das operações dos lojistas são feitas com o pagamento em boletos. Em Minas Gerais, o uso do boleto varia de 50% a 55%, dependendo da região, o que também é um percentual alto”, disse Mônia.

Mapeamento – Para ampliar os negócios, foi feito um mapeamento nacional onde foram identificados potenciais varejistas que podem operar os produtos comercializados pelo Semear. Neste ano, a estimativa é ampliar em 25% a atuação.

Os trabalhos de expansão estão focados, a princípio, na região Sul do Brasil, com trabalhos no Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. Também haverá atuação no Nordeste e, após, esgotar o que se tem de prospecção, os trabalhos serão voltados para outros estados.

O perfil dos varejistas parceiros é bem diversificado, incluindo empresas com cerca de 20 até 200 lojas. A maior parte, esta localizada em Minas Gerais.

“Minas Gerais é o nosso principal estado, onde temos uma grande capilaridade. O que temos feito mais no Estado é aumentar as operações implantadas, queremos aumentar a produção nos varejistas. Também estamos prospectando novos mercado em Minas”, explicou Mônia.

Dos 2 mil postos de atendimentos do Semear distribuídos no Brasil, cerca de 25% está em Minas Gerais. O Estado é o principal, seguido de Goiás, que concentra 15% dos postos.

Expectativas – Em relação ao mercado, mesmo com a ameaça do aumento de casos de coronavírus no Brasil, as expectativas são positivas e é esperado crescimento do setor varejista.

“Os varejistas estão se planejando e, em função dos casos de coronavírus, muitos estão investindo na antecipação de compras de mercadorias, principalmente, para o Dia das Mães. Eles estão se precavendo, mas ainda não existe nenhum ponto de atenção mais sério. Neste momento, a estimativa é que o varejo siga apresentando resultados mais positivos e, por isso, vamos manter nossos planos iniciais”.

Outro ponto que poderá contribuir para a expansão dos trabalhos do Semear, é o cadastro positivo. A entidade irá utilizar os dados para a criação de financiamentos personalizados.

“Nossa tabela de juros e de prazos de financiamento são bem flexíveis. Trabalhamos sempre para oferecer um produto mais customizado e que venha atender a demanda dos nossos clientes. Com o cadastro positivo, estamos nos preparando para utilizar os dados e será muito importante na definição de taxas, colaborando para ser mais justa para o cliente final”.