Crédito: Reuters/Pilar Olivares

O setor de serviços em Minas Gerais avançou 2,2% em janeiro de 2020 em relação a dezembro de 2019, na série com ajuste sazonal. Já na comparação com janeiro de 2019, os dados divulgados ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram uma queda de 0,5%. Nos últimos 12 meses, o setor de serviços se manteve estável no Estado.

Apesar de uma sinalização de recuperação observada em janeiro frente a dezembro, as estimativas para o setor de serviços são negativas, em função da pandemia do novo coronavírus, que vem causando a suspensão das atividades econômicas para controle da disseminação.

De acordo com o gerente da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, Rodrigo Lobo, apesar da entidade não fazer análises futuras sobre cenários, a situação vivida atualmente já mostra que os resultados em março serão prejudicados. Lobo explica que a tendência é de retração no setor, com maior ênfase nos serviços prestados às famílias e transportes.

Segundo Lobo, para o controle da pandemia houve a recomendação de fechamento de estabelecimentos de comércio e serviços e também houve a necessidade do isolamento social e parte dos trabalhadores estão em home office.

“Isso tudo traz vários impactos negativos. Dentro do setor de serviços o que deverá ser mais prejudicado são os serviços prestados às famílias, com o fechamento dos estabelecimentos, queda de faturamento e de vendas. No setor de transporte, a demanda e o menor deslocamento de cargas irão impactar de forma negativa, assim como a redução do transporte de passageiros, seja em rodovias, ferrovias ou aéreo”.

Ainda segundo Lobo, além da queda do número de passageiros, o transporte rodoviário também será prejudicado por barreiras estabelecidas por alguns estados impedindo a entrada de veículos de outros estados. Além disso, dentro do setor de transporte, haverá impactos negativos nas concessionárias e na locação de automóveis. Em serviços administrativos, os fechamentos dos shoppings tendem a fazer o resultado a cair.

De acordo com a pesquisa do IBGE, o avanço de 2,2% observado no setor de serviços em Minas Gerais, na comparação de janeiro 2020 com dezembro de 2019, ocorreu devido ao desempenho positivo verificado nos serviços profissionais, administrativos e complementares, que apresentaram alta de 7%, e serviços prestados às famílias, com alta de 2,7%. Já os serviços de informação e comunicação caíram 4,7%, transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio tiveram retração de 6,7% e outros serviços recuaram 1,2%.

Em janeiro, frente ao mesmo mês do ano anterior, o setor de serviços registrou queda de 0,5%. Os resultados por atividades em Minas Gerais, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, apontam variações negativas do volume de serviços em três das cinco atividades investigadas: transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio com retração de 3,6%. Em serviços de informação e comunicação a queda ficou em 2,3%, e serviços prestados às famílias recuou 1,6%.

Mantendo a mesma base de comparação, os serviços profissionais, administrativos e complementares apresentaram alta de 5,7% e outros serviços cresceram 4,4%.