Crédito: Divulgação

As fortes chuvas que caíram sobre Minas Gerais nos meses de janeiro e fevereiro causaram destruição e mortes. Uma parte desses danos se deveu aos volumes pluviométricos elevados.

Porém, uma parte poderá ser evitada se algumas medidas preventivas forem colocadas em prática para os próximos anos. Discuti-los é o objetivo do seminário “A engenharia na gestão das enchentes urbanas”, que a SME promove na próxima terça-feira, 17.

O seminário será composto por três painéis. O primeiro, que dá título ao evento, será “A engenharia na gestão das enchentes urbanas”. O segundo painel irá discutir “As características dos eventos pluviométricos de janeiro de 2020”. No encerramento, o debate será sobre “A ocorrência de cheias na Região Metropolitana de Belo Horizonte e possíveis medidas de mitigação”.

O seminário terá duração de um dia e ocorrerá na parte da tarde do dia 17, na sede da SME, na rua Timbiras, 1.514, Centro. As inscrições são feitas pelo Sympla.

O seminário será a segunda intervenção da SME no debate sobre as enchentes na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). No final de janeiro, logo após as fortes chuvas que caíram sobre a RMBH, com desmoronamento de encostas, mortes e alagamentos, a SME distribuiu nota à imprensa em que pede a revisão dos critérios para o cálculo da vazão de canais de cursos d’água que estão sendo canalizados.

O objetivo, segundo a entidade, é evitar o subdimensionamento de canalizações como a do Arrudas na avenida Tereza Cristina, na região Oeste de Belo Horizonte, que recorrentemente transborda. Para não se repetir o que ocorreu na canalização da Tereza Cristina, é fundamental, de acordo com a entidade, que o poder público divulgue tais projetos, a fim de que eventuais erros possam ser corrigidos a tempo.

Para a entidade, o evento será importante para a discussão de medidas que, se colocadas em prática, contribuam para minimizar danos que possam ser causados por chuvas nos próximos anos.

Economia circular – Também na semana que vem, no dia 18, quarta-feira, a SME irá promover o debate sobre “a economia circular e as expectativas de mudanças na indústria brasileira e mundial”.

A economia circular é um conceito estratégico que se assenta na redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia, substituindo o conceito de fim de vida, da economia linear, por novos fluxos circulares de reutilização, restauração e renovação.

Também serão discutidos temas como indústria 3.0 e indústria 4.0 e a posição do Brasil em relação aos outros países. O palestrante será o economista Victor Loureiro dos Santos.
O evento será às 18h30, na sede da SME. As inscrições também são feitas pelo Sympla.