A Tok Stok está construindo um centro de distribuição em área de 66 mil metros quadrados em Extrema - Crédito: Prefeitura de Extrema/Divulgação

Extrema, no Sul de Minas Gerais, somou R$ 1,7 bilhão em aportes privados no decorrer do ano passado. Para este exercício, estão previstos pelo menos outros R$ 1 bilhão, a partir da instalação ou expansão de negócios na cidade. Entre os destaques, centros de distribuição (CDs) de diferentes segmentos, demandados a partir do crescimento do comércio eletrônico no Brasil. Para 2020, a aposta permanece no setor.

As informações são do secretário de Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo do município, Adriano Carvalho. Segundo ele, em 2019, a retomada da economia ficou evidente e resultou em projetos de expansão industrial ou novos projetos para a cidade. “Ao todo, foram 96 empreendimentos, como a Bauducco, que inaugurou sua terceira fábrica na cidade, desta vez, voltada para a produção de pão de forma. Este número superou bastante os últimos dois anos, já quem, em 2017, tivemos 26 operações, e em 2018, 68”, destacou.

Ainda segundo o secretário, no ano passado, a cidade observou duas linhas importantes de investimentos. Por um lado, grandes grupos empresariais, como Fulwood e Log C, iniciaram a construção do maior parque logístico do Sul de Minas, a partir de um investimento de cerca de R$ 515 milhões, que permitirá a continuidade da atração de empreendimentos também em 2020. Por outro, os aportes diretos também foram vultosos, como a expansão do CD da Ambev – o maior da empresa na América Latina – e a instalação da gigante do comércio eletrônico Mobly.

“Tivemos também o anúncio da Tok Stok no fim do ano passado, cujo espaço de 66 mil metros quadrados está em fase adiantada de construção para receber o empreendimento. Além da distribuição para as lojas, o espaço acomodará a operação de e-commerce. Há ainda um estudo para atender um pedido da administração municipal para que a empresa também tenha em Extrema a primeira loja do Sul de Minas”, revelou.

Agenda 21 – Com a atração de investimentos nos últimos anos, conforme o secretário, Extrema chegou ao posto de maior economia do Sul do Estado. Segundo ele, o município alcançou o posto seguindo um planejamento que se iniciou em 2003, quando 30 entidades civis criaram a Agenda 21 de Extrema, que encerra seu ciclo em 2020.

O documento planejava o desenvolvimento da cidade em várias esferas e tinha o objetivo de tornar a cidade um polo de desenvolvimento econômico e social. Desta maneira, em 2010, Extrema era a sexta economia da região com um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 1,8 bilhão. Em 2015, saltou para terceira posição, com R$ 5 bilhões, e em 2017, o PIB atingiu R$ 7,5 bilhões, passando a frente o município de Pouso Alegre, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo Carvalho, os números mostram um crescimento sustentável, orgânico e sólido obtido por meio da combinação dos diferenciais internos (localização privilegiada, agilidade nos processos públicos, infraestrutura de qualidade, investimento em qualificação profissional) com os externos (incentivos tributários estaduais, facilidade no diálogo com governo estadual) para criar um ambiente acolhedor.

Indi – Para o diretor de Atração de Investimentos da Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (Indi), João Paulo Braga, o grande diferencial de Extrema está justamente na visão empreendedora do poder público local, com planejamento de longo prazo, boa gestão e continuidade dos trabalhos.

Entre os diferenciais do município, ele citou o desenvolvimento econômico no centro do planejamento, as ações governamentais, a credibilidade da prefeitura, a eficiência dos processos, a parceria entre as empresas e o governo e o desenho de políticas públicas em padrão de qualidade internacional.

Além disso, o diretor lembrou que o Indi atua em estreita parceria com a administração municipal no trabalho de prospecção de empresas, nas negociações e no apoio à implantação dos empreendimentos. “Esta parceria resultou em diversas empresas se instalando na região ao longo dos últimos anos, como Netshoes, Bauducco, Tok Stok e Panasonic. Nossa intenção é intensificar esta parceria e atuar para transbordar o desenvolvimento de Extrema para outras cidades da região”, revelou.