Crédito: Divulgação

A italiana Fassa Bortolo, indústria de insumos para a construção civil, iniciou as obras de instalação de uma fábrica de argamassa na cidade de Matozinhos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Trata-se da primeira planta industrial da companhia fora da Europa e a previsão é que entre em operação em meados do ano que vem. Os investimentos devem chegar a R$ 150 milhões.

As informações são do prefeito de Matozinhos, Antônio Divino de Souza. Segundo ele, em 2015, a empresa recebeu a doação de um terreno de 50 mil metros quadrados da prefeitura, autorizada pela Câmara Municipal de Matozinhos, com a condição de a obra ser executada em até três anos, prazo que se encerrou em novembro de 2019.

No entanto, as turbulências econômicas e políticas nacionais dos últimos anos acabaram inviabilizando o investimento no período inicialmente proposto.

“A empresa chegou a iniciar as obras de terraplanagem e os processos orçamentários, mas suspendeu o projeto por causa da crise econômica brasileira. Passado o período conturbado, os investidores pediram a prorrogação do contrato, pois ainda tinham interesse em investir na cidade. O prazo foi estendido até 2022 e, para nossa surpresa, a Fassa Bortolo iniciou a instalação no mês seguinte, ainda em 2019”, explicou.

Ainda segundo o prefeito, o canteiro de obras já está montado e em plena operação. Não fosse o período de chuvas, conforme ele, pelo menos 180 pessoas estariam trabalhando no local, que abriga, no momento, 80 profissionais da construção civil.

Esta será a primeira unidade da Fassa a ser instalada fora da Europa. A companhia está presente na Itália com 16 centros de produção, um centro de produção em Portugal, três filiais comerciais na Itália, três na Suíça, uma na Espanha, uma na França e na Grã Bretanha, com cerca de 1300 colaboradores.

A Fassa oferece uma extensa gama de produtos de cal e derivados, rebocos à base de cal e gesso, rebocos à base de cal e cimento, pinturas e revestimentos minerais brancos e coloridos, sistemas de isolamento térmico, produtos para saneamento de paredes e reestruturação, máquinas e acessórios para obras.

Investimentos – Souza revelou também que há outras indústrias se instalando no município. Segundo ele, apenas nos primeiros meses de 2020 empresas de diferentes segmentos procuraram a prefeitura para negociar.

Uma delas tem mais de 30 anos de experiência no mercado, a FNR Estruturas Metálicas iniciou as adequações num espaço industrial já existente para se instalar. Especializada na fabricação de estruturas metálicas, fabricação de caldeiraria média e pesada, perfis soldados e detalhamento de projetos industriais, a empresa vai gerar 200 empregos na cidade.

“Além disso, estamos negociando com uma firma de galvanização e as conversas estão bem avançadas. Os investidores estão comprando um terreno particular e a prefeitura está intermediando as tratativas”, comentou.

Segundo o prefeito, as expectativas para o atual exercício são muito positivas. Ele ressaltou o fato de o desempenho ter sido favorável em 2019, mesmo com a conjuntura ainda controversa.

“Não tivemos muito que comemorar no ano passado, mas também não tivemos perdas. Agora em 2020, diante da perspectiva de retomada efetiva da economia, é possível que os ganhos sejam maiores”, apostou.