Crédito: Divulgação

O Encontro Anual com o Conselho Curador da Fundação Dom Cabral (FDC), que aconteceu nessa terça-feira (10) na sede da Instituição, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), foi marcado pelo lançamento do projeto Memória FDC.

O objetivo, segundo o cofundador e presidente da Diretoria Estatutária, Emerson Almeida, é resgatar e preservar as ações das empresas parceiras, clientes e pessoas que buscaram e buscam o apoio da Fundação. A iniciativa foi apoiada pela Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM).

A estratégia do Memória FDC foi focada na visibilidade por intermédio de ações e projetos para a FDC interna e externamente. O trabalho, ao longo do ano, alinhou-se principalmente em dois princípios da FDC, Parceria e Valorização da Pessoa e Autossustentação.

Além das rotinas diárias de recuperar, organizar e preservar, neste ano focou-se na disponibilização do acervo. Através da recuperação de fotos do acervo, foram feitas homenagens a colaboradores e pessoas importantes para a história da FDC, relembrou-se a trajetória sobre a participação de dirigentes de empresas parceiras e também para o Patrono da Instituição, Dom Serafim Fernandes de Araújo.

“O projeto Memória FDC é um trabalho incansável de registro de todos os programas realizados peça Fundação Dom Cabral, todos os participantes. E, por isso, hoje é um dia de reverenciar a agradecer o apoio da CBMM na criação da Biblioteca Walther Moreira Salles e na inauguração hoje do Projeto Memória FDC”, pontuou Almeida.

O Memória FDC integra as ações do Sistema de Bibliotecas da Fundação, cujo acervo de livros digitais conta com mais de 7 mil títulos, em mais de 40 áreas do conhecimento. Apenas no primeiro semestre de 2019, o Sistema recebeu mais de 87 mil acessos e cerca de R$ 200 mil em investimentos.

O principal homenageado do Encontro foi o presidente do Conselho de Administração da CBMM, Pedro Moreira Salles. Ex-aluno da Fundação, o empresário ressaltou a história centenária de empreendedorismo da sua família, com origem em Poços de Caldas, no Sul de Minas.

“Nesses 100 anos, tudo mudou no Brasil, menos o tamanho dos desafios que enfrentamos. Estar aqui hoje é uma felicidade para falar da nossa parceria com a Fundação Dom Cabral. Essa parceria materializada no apoio da empresa em duas iniciativas de destaque da Fundação – a Biblioteca Walther Moreira Salles e o projeto Memória FDC – é motivo de grande satisfação e orgulho pra todos nós. O ideal do meu pai passava pela aquisição e, sobretudo, pela transmissão do conhecimento para as novas gerações. Nada poderia ser mais apropriado que ver seu nome convertido em uma biblioteca que alimentará ideias e ideais de futuros líderes empresariais do País”, pontuou Salles.

Prestação de contas – A reunião do Conselho Curador também tem como objetivo a prestação de contas da Fundação enquanto instituição de utilidade pública, sem fins lucrativos. “Apesar de todas as dificuldades, acreditamos que podemos ajudar a comunidade, especialmente a comunidade empresarial, a se desenvolver não apenas com o objetivo do lucro pra elas, mas também estendendo os resultados dos seus projetos para a sociedade”, afirmou o presidente da Diretoria Estatutária da FDC.

Segundo o presidente executivo da FDC, Antonio Batista, a missão da FDC é fazer da educação um instrumento de inspiração e transformação de líderes e organizações. Para isso ela tem um conjunto de cerca de 400 professores e gerentes muito atento às transformações que o mundo está passando.

“Nossa equipe tem se deparado com as transformações nos dois grandes pilares da civilização ocidental: o capitalismo e a democracia. O capitalismo tem que lidar com o paradoxo de crescimento e desigualdade. Precisamos de um capitalismo inclusivo e responsável. E a democracia representativa também está sob ataque. Temos que evoluir para que os agentes consigam ter relações mais éticas e sustentáveis”, analisa Batista.

A FDC tem buscado construir soluções educacionais para atender essa necessidade de mudanças por meio de programas customizados e projetos para organizações. Ainda em 2019 foi criado o programa CEO Legacy e o programa destinado às mulheres líderes no agronegócio.

Em 2020 será desenvolvido o primeiro programa de pós-graduação totalmente on-line. “Temos que lidar com dois desafios, que na verdade são oportunidades: o chamado ‘aprendizado ao longo da vida’ e o ‘individualização do conhecimento’. Lançamos, então, em 2019, a plataforma Trekker, em que montamos jornadas individualizadas e aceleradas de aprendizado para executivos; e o FDC4You, que é a Trekker on-line”, destaca presidente executivo da FDC.