Crédito: Divulgação

Após faturar R$ 200 milhões em 2019, o grupo mineiro Rede de Cuidados de Saúde (RCS Med), sediado em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), aposta na telemedicina e na expansão do número de unidades para faturar ainda mais em 2020. Para este ano, é esperado um avanço de 15% nos negócios e a perspectiva de investimento gira em torno de R$ 25 milhões.

As informações são do diretor da RCS Med, Ricardo Cabral. Segundo ele, o resultado do exercício passado avançou em 25% sobre o registrado um ano antes e está atrelado à consistência de entrega do grupo.

“Nascemos com a ambição de transformar o ecossistema de saúde em todas as suas particularidades, visando principalmente à otimização da qualidade com a racionalização do custo e, por contaminação dos pares gestores que trabalhamos nos últimos anos, temos obtido um crescimento orgânico consistente”, destacou.

Para ancorar o desempenho previsto para 2020, Cabral citou os investimentos de R$ 25 milhões a serem destinados à aquisição ou construção de unidades. No ano anterior, os aportes nestas frentes foram de R$ 6 milhões.  Hoje a empresa está presente em 94 cidades entre Minas, Espírito Santo e Distrito Federal e atende 43 mil pessoas. O principal mercado é Minas Gerais.

No que se refere à telemedicina, esta é a grande aposta da RCS Med para os próximos anos, por meio da Near Telemedicine. Conforme o diretor, o grupo já investe no segmento há algum tempo e espera apenas o amadurecimento do setor e do Conselho Federal de Medicina (CFM) para colocá-lo totalmente em operação.

“A telemedicina já é realidade entre pacientes e médicos de forma eficaz em diversos países. No Brasil ainda há algumas restrições. Mas o caminho para racionalização do custo da saúde passa pela oferta dos serviços digitais. Telemedicina não é mais ou menos medicina, não é nova, é só mais um meio”, explicou.

Hoje a telemedicina é permitida por lei e pelo CFM em diversos formatos, como por exemplo, quando existe a presença médica nas duas pontas do atendimento. A RCS Med já oferece teleorientação para 43 mil pessoas, com orientações 24 horas por dia, e opera a telemedicina entre médicos para discussões de casos em segunda opinião.

Segundo o grupo, a Near é capaz de atender unidades de saúde com tecnologia e atendimento médico para que possam ampliar o número de especialidades a serem atendidas, aumentar o número de consultas mensais, captar e reter novos pacientes.

Testes – A solução já está em teste em unidades públicas de atenção primária na cidade do Rio de Janeiro onde foram realizados atendimentos de Cardiologia, Neurologia Reumatologia, Ginecologia/Obstetrícia, Cirurgia Geral e Nefrologia.

A meta é atuar nos mercados públicos e privados e também seguir em parceria com o projeto de atenção primária do Eu Saúde, também idealizado pela RCS Med, que visa atender empresas e operadoras de saúde oferecendo atendimento médico de qualidade por menos de R$ 20 por mês.

“O nosso planejamento é termos no primeiro trimestre de 2020 um projeto de atenção integral à saúde em telemedicina para empresas e instituições a um valor de até R$ 20 mensais por pessoa, com consultas ilimitadas. Será o grande novo paradigma em saúde privada”, revelou.

Vale destacar que o projeto Near Telemedicine está sendo investido pelo BiotechTown, hub de inovação voltado exclusivamente para produtos e negócios nas áreas de biotecnologia e ciências da vida, localizado também em Nova Lima. O objetivo no hub é aprimorar o projeto em um ambiente de inovação possibilitando network ou acesso a pessoas-chave que atuam no setor.