Aliss035:help 6 loja de crédito HELP CREDITO: CHARLES SILVA DUARTE 24/06/2016

Criada há pouco mais de três anos, a Help! Loja de Crédito, franquia de crédito ligada ao banco BMG, apresentou um desempenho de dar inveja até mesmo ao setor bancário.

Apenas nos primeiros nove meses de 2019 seu portfólio agregou 260 unidades, representando um crescimento de 55% frente às 472 unidades ao fim de 2018. Em Minas Gerais, berço do grupo BMG, no mesmo período, o resultado foi ainda melhor: o número de unidades mais que dobrou, passando de 41 para 84, o equivalente a 17,8% do total de unidades espalhadas pelo Brasil.

A rede de franquias é voltada para serviços financeiros com foco em aposentados, pensionistas do INSS e servidores públicos. De acordo com o diretor de Franquias e Expansão da Help!, Adriano Batistela, o resultado é fruto de uma série de fatores, entre os quais se destaca a estruturação da marca. Ingressar na lista das 50 maiores franqueadoras em número de unidades e conquistar o Selo de Qualidade da Associação Brasileira de Franchising (ABF) foram outras conquistas da Loja de Crédito em 2019.

“Os primeiros anos foram mais dedicados à nossa estrutura de processos, sistemas e equipes. Com isso, em 2019 pudemos nos voltar mais para a expansão. O que explica o interesse pelo nosso modelo é esse caminho construído. Conseguimos ampliar o nosso conhecimento de marca por meio de um intenso trabalho de marketing. Assim, o franqueador ficou satisfeito e isso se refletiu no franqueado”, explica.

De outro lado, a Help! encontrou um mercado competitivo, porém em franca expansão. A população com mais de 65 anos representa hoje 14,3% da população economicamente ativa no Brasil, de 15 a 64 anos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019.

Isso significa que, para cada brasileiro com idade para se aposentar, existem sete trabalhadores na ativa. Dez anos atrás, essa razão era de 8,8 para 1 e, em 2004, o dado mais antigo da série disponibilizada pelo IBGE, de 10 para 1. Além disso, o número de idosos aumentou 18,8% nos últimos quatro anos. Até 2050, a terceira idade representará 30% dos brasileiros e, em 2060, o percentual será maior do que de jovens.

“Além do crescimento da população idosa, temos o aumento na nossa base convênios, o que justifica os resultados de maneira direta. Também é certo que esse é um setor competitivo, porém não temos um concorrente direto. Outras empresas atendem partes das necessidades dos nossos clientes, mas não com um portfólio completo como o nosso”, afirma o diretor de Franquias e Expansão da Help!.

Mudanças – Para atender com eficiência esse público que só faz crescer é preciso entender mais do que as suas necessidades, é necessário entender o processo de transformação pessoal e geracional que ele está atravessando.

De modo geral, essa é uma população muito mais informada e informatizada do que as anteriores, o que lhe garante um grau de exigência muito superior e desejos específicos. A longevidade e o melhor padrão de vida, se comparado ao experimentado pelos idosos das décadas passadas, exige novos serviços e postura de quem quer atendê-los.

“Existe uma mudança importante em curso. Essa é uma população que tem mais acesso à informação e desejo de ir além do básico. Tem quem queira um crédito para pagar uma pós para o neto, por exemplo, ou pra si próprio. O mundo digital tem favorecido esse novo posicionamento. Eles têm exigido coisas diferentes do que exigiam no passado. Isso tem efeito sobre o lançamento de novos produtos”, pontua o gestor.

Foco – O foco da expansão da marca para 2020 são cidades com, pelo menos, 100 mil habitantes. O investimento total médio gira entre R$ 120 mil e R$ 160 mil, dependendo do tamanho da cidade.

A busca é por franqueados que, além da capacidade de investimento, tenham disponibilidade para operar o negócio pessoalmente e alguma experiência empresarial, não necessariamente no segmento de crédito. A perspectiva é que o crescimento se mantenha acelerado, porém, talvez, em um ritmo menor do que no ano passado, que ultrapassou todas as metas colocadas.

“A partir de 100 mil habitantes avaliamos o perfil dos tomadores de crédito daquela cidade. O investimento médio em uma unidade da Help! é relativamente baixo e como não temos um estoque para ser administrado o custo fixo é baixo. Isso facilita a operação e antecipa o prazo de retorno. O esforço fica todo voltado para as vendas”, completa.