É possível ganhar a vida como escritor no Brasil?
Crédito: José Cruz/Agência Brasil

EDUARDO VILLELA*

Quem nunca se emocionou ao ler um romance, ou não se animou com um livro de aventura e magia? Há as boas biografias que tanto podem nos inspirar e livros de carreira, gestão e negócios que são muito úteis para a solução de problemas no dia a dia de trabalho. Ou seja, os livros nos oferecem uma infinidade de oportunidades de aprendizado, reflexão e diversão.

Recebemos esses tantos benefícios dos livros graças aos escritores que tiveram e têm a coragem e a atitude de compartilhar com os leitores suas boas histórias, ideias e vivências. Tornar-se escritor é uma oportunidade muito especial de contribuir para fazer do Brasil um país melhor. Felizmente, o interesse em escrever o primeiro livro é crescente por aqui.

A vontade de ser escritor pode ter surgido em uma aula de Português e Literatura na escola, após escrever uma boa redação, depois da leitura de um livro impactante, ou pela vontade de passar para o papel um pouco de seus conhecimentos, experiências, visões de mundo.

Seja de onde veio esse anseio, uma pergunta frequente de muitos novos escritores é: será que é possível ganhar a vida como escritor? Ainda mais no Brasil, um país, em que, historicamente, não é muito conhecido pelo gosto da população pelos livros. Primeiro, vamos discutir alguns dados: um levantamento realizado em abril pelo Picodi.com, traz o Brasil na oitava posição do ranking dos países que mais compram livros.

De acordo com a pesquisa, 74% dos brasileiros compraram pelo menos um livro ao longo do último ano. Apenas Eslováquia, Malásia, Romênia, Tailândia, Espanha, Rússia e Turquia, esta última tendo apresentado 87%, estão à frente do Brasil. Ou seja, há sim interesse pelos livros e espaço para a leitura em nossa sociedade. Claro que o hábito de ler precisa continuar a ser incentivado, mas é preciso ter em mente que boa parcela da população já lê mais de um livro por ano.

Então sim, é possível ganhar a vida como escritor no Brasil. Entre os nomes de escritores brasileiros mais reconhecidos mundialmente estão os clássicos como Machado de Assis, Carlos Drummond Andrade, Graciliano Ramos, Jorge Amado, Guimarães Rosa e Clarice Lispector.

Mas uma turma mais jovem também vem ganhando espaço, como Paulo Vieira, autor do best-seller “O Poder da Ação”, Isabela Freitas e a trilogia “Não se Apega Não”, destacam-se também Mario Sergio Cortella, Thalita Rebouças, Fred Elboni e Marcos de Brito, entre outros… Essa turma está fazendo sucesso dentro e fora do mundo editorial, pois também estão inseridos no meio digital, participam de eventos e realizam cursos, palestras e apresentações, o que é muito importante nos dias atuais.

Para você que deseja construir uma carreira como escritor, sugiro que faça um planejamento inicial de cinco anos para escrever e lançar pelo menos 3 a 5 livros nesse período. A partir dessa quantidade de obras publicadas e considerando que você se empenhará para divulgá-las bem no mundo on-line e também em seus cursos, palestras, aulas e eventos, existe um potencial interessante de um bom número de leitores se interessarem por elas. A estratégia de lançar um livro por ano ou a cada um ano e meio costuma trazer bons resultados, pois cada novo livro lançado reaviva o interesse pelos anteriores.

Quando chegar o momento de escolher os temas sobre os quais você escreverá a respeito, escolha aqueles que você conheça bem e goste muito. Assim, você tem grandes chances de produzir conteúdos de muito boa qualidade e isso será fundamental para que os leitores gostem de seus livros e façam boca a boca positivo deles. É importante também você escrever pensando em seu público-alvo de leitores: se você quer ser lido, busque abordar nos textos de seus livros os sonhos, os medos e as necessidades de seus leitores em relação aos temas escolhidos.

Uma carreira literária consistente é construída em longo prazo com a publicação de vários livros. Ao longo dos anos, o somatório de vendas dos exemplares dos livros já lançados junto com os novos vai criando um volume crescente e interessante de vendas. Portanto, ser escritor exige paciência, foco e um planejamento muito bem-feito. Nos primeiros cinco a 10 anos, você precisará conduzir sua carreira de escritor(a) em paralelo com outra atividade profissional. Você não poderá abrir mão de contar com a remuneração de outra atividade profissional até que as vendas de seus livros proporcionem as condições de você dedicar 100% de seu tempo à escrita.

*Trabalha com escrita e publicação de livros desde 2004, já lançou quase 600 livros de variados temas