COTAÇÃO DE 23/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3090

VENDA: R$5,3100

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3230

VENDA: R$5,4630

EURO

COMPRA: R$6,2055

VENDA: R$6,2068

OURO NY

U$1.742,23

OURO BM&F (g)

R$297,77 (g)

BOVESPA

+1,59

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

exclusivo Negócios Negócios-destaque

IDEIAS | O que a tecnologia pode fazer pela educação hoje?

COMPARTILHE

Samir Iásbeck*

Recentemente foram divulgados dados do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Aluno), que apontam que o Brasil está na 57ª colocação em leitura. E, apesar de ter melhorado em relação a última avaliação em 2015 em que o País ficou em 59º lugar, ainda está longe de ser um bom resultado. Isso porque, eles mostram o quanto a educação no nosso País precisa de uma melhora urgente.

PUBLICIDADE

Além dos índices sobre leitura, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) de 2018 trouxe outro dado preocupante, 52,% dos brasileiros de 25 anos ou mais não concluíram o ensino básico. Entre eles, a maioria (33,1%) não terminou nem o ensino fundamental, 6,9% não têm nenhuma instrução, 8,1% têm o fundamental completo e 4,5% têm o ensino médio incompleto.

Acredito que muitos brasileiros não conseguem terminar os estudos, pois precisam começar a trabalhar cedo para contribuir com a renda da casa. Isso é alarmante porque isso se torna um ciclo, o aluno precisa abandonar a escola para ajudar a família e, em consequência disto nem sempre consegue um bom trabalho, dessa maneira, o seu filho precisará largar também e assim repetidamente.

Em contrapartida notamos que muitos brasileiros têm recorrido ao ensino à distância para continuar em constante evolução. Pelo menos é que aponta o Censo EAD 2018/2019 – Relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil, onde notamos que a maior procura por esse tipo de ferramenta está em pessoas entre 26 e 30 anos, sendo que a maioria (39,3%) busca por um ensino totalmente à distância. Desta forma, a evolução da tecnologia pode ser de grande ajuda para a educação.

A internet tornou tudo mais fácil, já que torna possível encontrar tudo o que é preciso buscando por materiais confiáveis. Além disso, o Youtube tem facilitado muito a vida das pessoas. A Geração Z, por exemplo, que é altamente conectada, utiliza essa rede social para aprender sobre os mais variados assuntos. Prova disto, é que de 2017 para 2018, o tema empreendedorismo cresceu 200% nas buscas de conteúdo do Youtube.

Além disso, vários métodos podem ser explorados como vídeo, PPT, Realidade Aumentada (RA), Realidade Virtual (RV), Chatbot, entre outros. Há também a possibilidade de recursos alternativos sem a necessidade de um diploma, só o aprendizado real.

Como exemplo, podemos citar o microlearning, que é um formato on-line e de curta duração. Ou seja, são aulas mais objetivas e que tem um grau de comprometimento e atenção de tempo mais reduzido. E isso não quer dizer que ele tem menos conteúdo, muito pelo contrário. Na verdade, ele é dividido em pílulas, facilitando o engajamento. Tal técnica é muito encontrada em aplicativos, que podem ser uma boa opção para quem deseja aprender de verdade.

Outra estratégia interessante e que vale destacar é a gamificação. O conceito consiste em usar padrões de jogos para motivar e reforçar o aprendizado. Nessa técnica, o intuito é aumentar o engajamento despertando a curiosidade dos usuários por meio dos desafios propostos. Para o sucesso desse modelo, as recompensas também são itens imprescindíveis.

É importante ressaltar que todos os métodos podem e, normalmente são aplicados para o mobile o que facilita e muito a vida das pessoas. Segundo o estudo KPCB, Internet Trends 2015 – Code Conference, 91% das pessoas consultam seu smartphone na busca por ideias enquanto concluem uma tarefa. Esse dado nos mostra que o uso de celulares tem sido fundamental para otimizar rotina dos seus usuários.

Em linhas gerais, notamos que a tecnologia tem sido fundamental para engajar os estudantes e logo se tornará indispensável quando falamos em conhecimento real. O mais importante é entender o que funciona para cada pessoa para aplicá-la da melhor forma, afinal, a forma com absorvemos informações é única.

*CEO e fundador do Qranio

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!