Crédito: Divulgação

Com a quinta unidade inaugurada em Belo Horizonte e a 10ª no Estado, a Le biscuit do Shopping Estação BH, na região de Venda Nova, deu início a um ano de expansão da varejista baiana.

A expectativa, de acordo com o presidente da Le biscuit, David Lee, é que a empresa some mais 30 unidades até o fim de 2020. Novas lojas já estão em negociação no Shopping Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), e no Minas Shopping, na região Nordeste da Capital.

“O ano passado foi muito bom, com muitas oportunidades. Realizamos investimento de R$ 100 milhões em infraestrutura, dobrando o tamanho do nosso centro de distribuição, adquirimos tecnologia para estruturar o nosso e-commerce e abrimos 20 lojas próprias. Minas Gerais foi um dos focos principais desse crescimento. Começamos 2019 com duas lojas em Uberlândia (Triângulo) e já estamos na décima. Em 2020, vamos manter o ritmo de crescimento e nosso objetivo é adensar nossa presença no Estado, especialmente na região metropolitana”, explica Lee.

A varejista trabalha com um mix de mais de 20 mil itens de armarinho e artesanato, bebê, bomboniére, brinquedos, cama mesa e banho, eletroportáteis, decoração, festa, higiene, beleza e moda, lazer, papelaria, telefonia e utilidades do lar.

A unidade do Shopping Estação BH consumiu investimento de mais de R$ 2,3 milhões para uma área total de 630 m², e deve gerar mais de 44 empregos diretos e indiretos. Ela é um exemplo perfeito do padrão das unidades da rede, com loja própria e instalada dentro de um shopping center. Das 140 unidades em operação, 110 estão em centros de compra e apenas quatro são franqueadas. A meta é fechar 2020 com 20 operações no formato franquia.

O modelo de franchising foi lançado a partir de 2018 e é utilizado para a expansão em cidades médias. Em geral são lojas com menos de 500 metros quadrados e com mix menor. O investimento médio para a abertura de uma unidade do formato é de R$ 1,2 milhão.

“Somos muito criteriosos com a seleção de franqueados. Além de capacidade de investimento, exigimos que o candidato tenha disponibilidade para se dedicar ao negócio e, se tiver alguma experiência em varejo, isso é muito bem-vindo. O modelo é indicado para cidades a partir de 80 mil habitantes”, pontua o presidente da Le biscuit.

O próximo grande passo da rede é o lançamento do seu e-commerce, previsto para o início do segundo semestre. A promessa é que ele já nasça com todas as funcionalidades de omnicanalidade, integrando as plataformas físicas e virtuais (site e aplicativo).

“Assim vamos poder atender às necessidades e desejos dos nossos clientes, inclusive aqueles que não têm um Le biscuit na sua cidade. Ele poderá fazer a compra on-line, da maneira que for mais prática e retirar na loja mais próxima, inclusive franqueada. Desse modo o franqueado também ganha sobre a venda”, destaca.