Plano da rede é fechar este ano com 90 unidades em todo o País, deste total 20% devem estar instaladas em Minas Gerais - Crédito: Divulgação

A Mestre-Cervejeiro.com, com 65 lojas espalhadas pelo Brasil, sendo cinco em Minas Gerais, inaugura hoje o seu primeiro quiosque em um shopping center mineiro. O lugar escolhido na Capital foi a praça de alimentação do Shopping Estação BH, na região de Venda Nova. O objetivo da rede é fechar 2020 com 90 unidades, sendo até 20% delas no Estado.

De acordo com o gestor de franquias da Mestre-Cervejeiro.com, Daniel Roberto, a próxima inauguração será em Varginha, no Sul de Minas. “Minas é um território muito importante e devemos acelerar o ritmo de inaugurações em 2020. Estamos em polos regionais importantes como Juiz de Fora (Zona da Mata), Uberlândia (Triângulo) e Poços de Caldas (Sul de Minas), além de duas unidades em Belo Horizonte. Mas procuramos cidades menores também, acima de 50 mil habitantes. O nosso modelo tem muita aderência e capacidade para ser tornar verdadeiros points em cidades menores”, explica Roberto.

No quiosque estarão disponíveis mais de 60 rótulos de cervejas artesanais, nacionais e importadas, e também rótulos exclusivos da marca, além de cinco torneiras de chope artesanal. A carta de cervejas, montada especialmente para o local, conta com diversos rótulos produzidos em Minas Gerais. Também são disponibilizadas bancadas com tomadas e wi-fi liberado e são comercializados presentes e acessórios que são best sellers da marca, como bonés, camisetas, growlers, abridores, copos e taças.

Além dos modelos de loja de rua e shopping e quiosque, a marca também oferece a loja em container. O investimento total médio é de R$ 200 mil, já incluído o estoque para os primeiros meses de operação.

“O quiosque tem menos rótulos porque não há espaço de armazenagem. Além disso, ele é um lugar mais voltado para a experimentação, daí a opção pela praça de alimentação. Já as lojas são espaço mais para compra de presentes, onde as pessoas vão gastar mais tempo escolhendo e obtendo informações. Uma loja costuma ter cerca de 120 rótulos, mas algumas podem chegar a 200. Direcionamos a montagem da carta de bebidas de acordo com as preferências dos consumidores daquela região, respeitando, inclusive, as marcas locais”, destaca o gestor de franquias da Mestre-Cervejeiro.com.

Para se tornar um franqueado da marca o candidato não precisa ser um especialista em cervejas. Todo o conhecimento é repassado pela franqueadora. A busca é por pessoas com perfil empresarial e experiência em comércio. Tanto perfil investidor como operador são bem-vindos.

Hábito de consumo – O sucesso da rede está, em parte, explicado por novos hábitos de consumo surgidos na última década. Segundo dados de 2019 divulgados pela startup Mind Miners em parceria com a AT Kearney, 65% dos entrevistados já provou algum rótulo produzido por marcas de pequena escala. Destes, 53% diz ter experimentado cervejas artesanais, enquanto 12% afirmam consumi-las com frequência.

Ao comparar cervejas artesanais com cervejas de larga escala, 77% dos entrevistados dizem que a diferença de sabor entre as duas é gritante, 59% concordam que a cerveja artesanal agrega mais qualidade ao produto e 45% dizem preferir consumir menos quantidade de uma bebida artesanal do que mais quantidade de uma cerveja industrializada.

“O nosso modelo de franquia é fácil de ser implantado e se expandiu de forma muito rápida. Tanto o produto como o negócio tiveram grande aceitação pelo público. O brasileiro sempre teve acesso a um único tipo de cerveja de ‘main streaming’. Com a cerveja artesanal tivemos acesso a outros tipos de cerveja, com outros insumos, sabores e características. Esse movimento é tão forte que as grandes indústrias estão aderindo. A cadeia produtiva da cerveja está crescendo e amadurecendo. É uma resposta para o público”, completa o gestor.