Prefeito de Governador Valadares já assinou termo de cooperação com a JMM Tech e começará a testar o sistema próximas semanas | Crédito: Divulgação/Prefeitura de Governador Valadares

O uso de ferramentas de reconhecimento facial pelo poder público já é realidade no Brasil. Com foco especificamente em segurança, a tecnologia também já começa a ser utilizada no transporte, controle de fronteiras e educação. Mas e se os dados coletados pudessem, de alguma maneira, contribuir para o controle da disseminação do novo coronavírus (Covid-19) no País?

É o que propõe um sistema desenvolvido pela mineira JMM Tech em cooperação com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Trata-se de uma central de comando e controle totalmente on-line, que integra pacientes, poder público e serviços de emergência. Governador Valadares, no Vale do Aço, já assinou termo de cooperação e vai ser a primeira cidade a testar a tecnologia nas próximas semanas.

De acordo com o CEO da JMM Tech, Ernani Miranda Machado, a ferramenta funciona por site ou aplicativo e pode ser viabilizada em qualquer município, com investimentos a partir de R$ 40 mil – a depender do porte da cidade e os equipamentos a serem instalados.

“O software vai servir para rastrear e identificar todos os pacientes confirmados e os casos suspeitos das unidades de saúde e hospitais, para que as autoridades competentes saibam onde esses pacientes estão, onde foram e a evolução da doença naquele indivíduo. Cidades pequenas poderão viabilizar o sistema com investimentos de cerca de R$ 40 mil e médias com aproximadamente R$ 80 mil”, estimou.

De toda maneira, ele ponderou que a viabilidade do uso de ferramentas de reconhecimento facial para o combate à pandemia do Covid-19 dependeria ainda do financiamento pela iniciativa privada. É que se trata de uma corrida contra o tempo.

Adesão da iniciativa privada – “Além da contratação pelos órgãos públicos ter toda uma questão burocrática, ainda poderia haver limite de recursos. Já uma grande empresa que quisesse colaborar com o controle da doença junto às comunidades em que atua, teria mais facilidade em contratar os serviços, investiria em responsabilidade social e teria o retorno em marketing”, explicou.

O foco do sistema é a integração de dados. O idealizador disse que a ideia é promover a unificação de informações de todas as secretarias municipais e estaduais de saúde em uma única plataforma e possibilitar que o paciente com o diagnóstico confirmado seja rastreado, possibilitando às autoridades de saúde saberem se ele está cumprindo a quarentena, como está seu estado de saúde e a evolução do quadro.

“O sistema dá acesso também a uma área exclusiva do paciente, com funcionalidades como um ‘botão do pânico’, para o caso de o paciente se sentir mal e necessitar de ajuda médica de urgência. É uma ferramenta sem precedentes, que ainda conta com a possibilidade de associar informações de outras agências e órgãos como polícia, Samu e Corpo de Bombeiros, para que todos trabalhem juntos”, ressaltou.

Valadares – A Prefeitura de Governador Valadares já assinou um termo de cooperação com a JMM Tech e começará a testar o sistema nas próximas semanas. A cidade já contabiliza 226 casos suspeitos e dois confirmados, segundo boletim da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES).

Na avaliação do prefeito André Merlo, a ferramenta dará aos profissionais condições de exercer um trabalho mais dinâmico e poderá levar o enfrentamento à doença a outro patamar.

“Todo mecanismo que otimize o trabalho dos profissionais é bem-vindo. Tenho certeza que teremos muitos avanços neste momento que estamos passando”, disse. Mais informações pelo e-mail coronavirus@jmmtech.com.br.