Montes Claros prevê aportes de mais de R$ 1 bilhão neste ano
Rede de lojas Havan deverá instalar uma unidade no município - Crédito: Divulgação

Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, somou cerca de R$ 1 bilhão em aportes privados no decorrer do ano passado. Para este exercício, estão previstos investimentos superiores ao montante, a partir da instalação ou expansão de empreendimentos na cidade. Entre os destaques, indústrias farmacêuticas, que têm apostado no projeto de transformar a região em um polo do setor.

As informações são do secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Edilson Torquato. Segundo ele, 2019 foi marcado pela retomada dos investimentos na região que também foram impulsionados pelos esforços do Executivo municipal na infraestrutura local.

Ele ressaltou como características positivas de Montes Claros a localização geográfica, a estrutura logística e de educação, além do fato de o município estar incluído na área da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), o que possibilita a oferta de incentivos fiscais.

“Estamos com uma administração diferenciada que tem nos levado na direção do que ocorre no País. Os esforços e investimentos da gestão municipal foram focados na infraestrutura, em postos de saúde, escolas e vias públicas, de maneira a reconquistar a confiança e a credibilidades junto aos investidores”, explicou.

Assim, em um trabalho conjunto com o governo do Estado, por meio da Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (Indi), com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e com a Associação Comercial e Empresarial de Minas (ACMinas) a prefeitura conseguiu propagar as potencialidades da região e fazer com que os empresários voltassem suas atenções para o município.

Entre os principais aportes anunciados para Montes Claros em 2019, Torquato citou o aporte da Eurofarma para consolidar um parque industrial de 150 mil metros quadrados, por meio de R$ 149 milhões e gerando 400 novos empregos até o ano que vem. O empreendimento como um todo promoverá inversões de R$ 600 milhões.

Ele citou ainda a Sanval, do grupo Hipolabor, que também está investindo em uma fábrica de comprimidos diversos (de antibióticos a antidepressivos), com investimentos de R$ 70 milhões e a abertura de 200 empregos diretos também até 2021.

“Além disso, tivemos outros investimentos em diferentes setores. Somente o de supermercados, por exemplo, recebeu a instalação de pelo menos quatro lojas na cidade no decorrer do ano passado. E para este exercício, já temos confirmadas mais duas”, revelou.

Varejista – Também para este ano está prevista a chegada da gigante do comércio varejista Havan na cidade. Com investimentos estimados em R$ 30 milhões e inauguração esperada para junho, a implantação está em fase de terraplenagem. A loja será instalada numa área de 16 mil metros quadrados e vai gerar 150 empregos diretos.

“O que realizamos no ano passado foi apenas o embrião do que faremos neste exercício. Continuaremos apostando nos mais variados setores, mas fortalecermos ainda mais o polo de indústria farmacêutica que já se formou na região. Isso porque, além de termos vocação, hoje este é um dos segmentos que mais crescem no Brasil”, adiantou.

DI – A Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) segue com a implantação do Distrito Industrial II da cidade. O projeto do DI II ocupará área de 1,7 milhão de metros quadrados, com a divisão do terreno em lotes que variam de 5 mil a 100 mil metros quadrados. Até 80 imóveis poderão ser instalados no local, atendendo a empresas de portes variados.