Viana: ao todo já são quase 2 mil voluntários | Crédito: CAF/Divulgação

As medidas de restrição e circulação de pessoas impostas pelas autoridades governamentais e sanitárias, em função da disseminação do Covid-19 pelo Brasil, levaram um empresário do Rio Grande do Sul a desenvolver uma plataforma que aproxima pessoas que precisam de ajuda e voluntários durante a pandemia do novo coronavírus.

Pensando nos grupos de risco, que incluem idosos, cardíacos, diabéticos e pacientes de quimioterapia, o analista de sistemas Pedro Viana, de 26 anos, criou o site www.ajudacoronavirus.com.br para que os mais jovens possam auxiliá-los na compra de alimentos, remédios, pagamento de contas ou outras atividades, enquanto durar o período de quarentena no País.

Segundo Viana, ao todo já são quase 2 mil voluntários cadastrados e, até o momento, cerca de 400 buscas por voluntários no sistema. Como o funcionamento ocorre por aproximação de CEP, o alcance é nacional, e quem estiver em determinada região pode solicitar ajuda de pessoas próximas.

“Quando vi que algumas pessoas estavam deixando bilhetes em elevadores para oferecer auxílio a quem precisa, lembrei de quem não mora em prédio e não vai ter essa mobilização. Foi então que pensei em um projeto que unisse as pessoas não só em Porto Alegre, mas em todo o Brasil”, comentou.

O empresário explicou que o tempo entre a ideia e a execução foi rápido. Já os custos, irrisórios. “Como já atuo na área de desenvolvimento de sistemas e possuo uma empresa do segmento, apenas coloquei em prática. A mão de obra também já estava ao meu alcance e outros parceiros se interessaram e ajudaram a implementar”, explicou.

Somente em Minas Gerais, cujos números de casos suspeitos chegam a 17.865 e os confirmados a 153, a plataforma já conta com 65 voluntários cadastrados. A maior parte em Belo Horizonte (28), seguido por Juiz de Fora, na Zona da Mata (9), e Uberlândia, no Triângulo (5).

O Rio Grande do Sul, que já soma 168 casos confirmados e uma morte, reúne o maior número de voluntários: 870. Logo em seguida, aparece São Paulo, cujos números da doença são de 1.052 confirmações e 58 óbitos, com 382 voluntários. O Rio de Janeiro, que soma 421 contaminados e 9 mortes, conta com 155 voluntários cadastrados.