Crédito: Epamig/ Divulgação

Com a suspensão das atividades presenciais em função do isolamento social para o controle da disseminação do novo coronavírus, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) está disponibilizando mais de 70 cursos gratuitos de educação a distância (EAD) e com certificação. O objetivo é levar a capacitação aos produtores e permitir que os mesmos avancem nos processos para terem melhores resultados nas propriedades.

A coordenadora de Inovação e Conhecimento do Sistema da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Sistema Faemg)/Senar Minas, Tércia Almeida, explica que são mais de 70 cursos oferecidos pelo Senar, todos gratuitos e com certificação. A opção é considerada importante para que os produtores se capacitem no período de isolamento social.

Os cursos abrangem vários assuntos, entre eles os da área de agricultura de baixa emissão de carbono, agricultura de precisão, bioma Cerrado, bioma Mata Atlântica, bovinocultura de leite e de corte, campo sustentável, empreendedorismo, gestão, floricultura, gestão de riscos, inclusão digital, entre outros. Também estão disponíveis capacitações no setor de Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (ILPF).

“Estamos com muitos cursos disponibilizados e em áreas diversificadas. Estamos buscando, nesse momento, atender a demanda dos produtores rurais. Como o Sistema Faemg conhece o produtor rural e entende as necessidades do momento, buscamos inovar, ou seja, encontrar solução para superar esse momento que estamos vivendo. A possibilidade de a pessoa buscar o conhecimento e utilizar o tempo de forma produtiva para agregar valor e aprendizado é muito importante para a geração de resultados”, explicou.

Ainda segundo Tércia, o acesso aos cursos é simplificado. O produtor que tiver interesse precisa acessar o site de educação a distância do Senar e fazer um cadastro. Após o cadastro, basta acessar as opções de cursos, conforme interesse.

Além das capacitações disponibilizadas, o produtor também tem acesso a fóruns, chats, biblioteca dos cursos, atividades interativas entre outras opções. A oferta de capacitações será conforme a demanda, o que norteará a abertura de novas salas de estudo para os temas disponíveis.

Com a oferta dos cursos voltados para a agricultura e pecuária, a ideia é estimular que o produtor continue se capacitando durante o período em que os cursos presenciais do Senar e de demais instituições foram suspensos em função do coronavírus. “A busca por conhecimento e inovação, nesse momento, vai promover um retorno positivo ao fim de tudo isso”, disse Tércia.

Para os alunos que fazem o curso técnico em agronegócio, realizado em dez polos de ensino do Estado, as aulas que seriam presenciais estão sendo gravadas em vídeos pelos tutores e disponibilizadas aos alunos. O objetivo é garantir a continuidade do curso e evitar atrasos na grade. As aulas a distância estão ocorrendo normalmente.

“Estamos trabalhando para que os alunos tenham a rotina normal do curso. A única modificação é que ele fará todas as atividades, inclusive as que eram presencias, de forma virtual. Quando retornarmos, não estaremos defasados e poderemos retomar a rotina e seguir em frente”.

Whatsapp – As ações de auxílio aos produtores rurais estão voltadas para que ele tenha assistência e acesso a informações importantes para que continue produzindo de forma segura e preservando a saúde. Além dos cursos gratuitos, outra iniciativa do Senar foi a disponibilização de um número de Whatsapp (61 93300-7278) para que os produtores rurais entrem em contato e relatem problemas de saúde ou que possam estar afetando à produção agropecuária.

Em nota, o diretor-geral do Senar, Daniel Carrara, explicou que o “nosso objetivo é receber informações sobre o estado de saúde do produtor e se ele está enfrentando alguma dificuldade com relação à produção, distribuição e comercialização do seu produto. Assim, vamos poder orientá-lo e tomar as medidas necessárias junto às instâncias federais”, destacou.

Tércia Almeida ressalta que as iniciativas são importantes para que a produção no campo continue e garanta o abastecimento das cidades. “O campo não vai parar, e o Sistema Faemg tem buscado formas inovadoras de chegar até o produtor rural e atender as demandas, garantindo segurança, orientação e amparo”, disse Tércia.